Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

Festival bom para negócio

Público mais jovem e crise fazem cair as receitas. Ainda assim, comércio local depende do Sudoeste para sobreviver.
9 de Agosto de 2013 às 01:00
A Zambujeira do Mar ganha outra vida em agosto
A Zambujeira do Mar ganha outra vida em agosto FOTO: Luís Guerreiro

São milhares de pessoas a passear, diariamente, no centro da Zambujeira do Mar durante mais de uma semana. Alguns vão e vêm sem abrir muito a carteira, mas o calor alentejano sempre vai obrigando a sentar para um gelado ou umas imperiais.

Para os habitantes e comerciantes da vila alentejana, esta é a realidade de há já 17 anos e casos há em que é a semana do Sudoeste que suporta os encargos de todo o ano.

É o caso de uma pizzaria no centro da vila. "Não posso falar em valores mas fazemos mais dinheiro do que normalmente. Posso mesmo dizer que é o Sudoeste que sustém o negócio o resto do ano", admitiu Aurea Marques.

Já o vizinho do lado, Vítor Duarte, dono de uma marisqueira, queixa-se das escolhas de cartaz da promotora Música no Coração, que tem conquistado um público mais jovem e menos gastador. "Os primeiros anos, 1995 ou 1997, foram uma loucura, agora são mais jovens a vir, então está relativamente normal", diz. Com porta aberta há mais de 30 anos, não houve agosto que escapasse à festa mais rija do litoral alentejano.

Com o passe para os cinco dias a custar 95 euros e a incluir viagens gratuitas – mas demoradas – entre o recinto e o centro da Zambujeira, mas também campismo grátis, wi-fi e 50 máquinas de carregamento de baterias de telefone, muitos são também os que optam por fazer compras no supermercado do recinto ou nos que vão encontrando no centro da vila.

"Compramos comida no supermercado por isso o único dinheiro que gastamos por aí é em bebida e alguma coisa que compremos nas barraquinhas. Mas ficam umas férias low cost, ainda assim", conta uma festivaleira.

Ontem, artistas portugueses inauguraram o palco principal. Mónica Ferraz foi a primeira a atuar, seguindo-se Richie Campbell, um dos grandes nomes do reggae nacional, que roubou o público de todos os outros palcos e conseguiu casa cheia.

Os sons do reggae continuaram com os brasileiros Natiruts, que abriram caminho para o cabeça de cartaz da noite: o rapper norte-americano Pitbull.

CLIQUE NA IMAGEM PARA VER A FOTOGALERIA DO SUDOESTE FORA DO RECINTO

VEJA TAMBÉM O MAPA DOS FESTIVAIS EM TODO O PAÍS

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)