Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Francisco José Viegas lamenta morte de Pedro Osório

O secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, reagiu esta quinta-feira à morte de Pedro Osório, considerando-a "o desaparecimento de uma figura a quem a música ligeira portuguesa, desde a década de 60, deve uma grande parte daquilo que foi e também do que é ainda hoje".
5 de Janeiro de 2012 às 23:15
Secretário de Estado escreveu que a falta de Pedro Osório "será profundamente sentida"
Secretário de Estado escreveu que a falta de Pedro Osório 'será profundamente sentida' FOTO: José Sena Goulão/Lusa

Viegas sublinhou que "inúmeros" músicos portugueses devem ao maestro, compositor, orquestrador "um pouco de tudo", nomeadamente a sua presença solidária e a sua amizade.

"Também pianista autodidacta desde a infância, director musical, actor, figura importante da vida cultural portuguesa, Pedro Osório era tão multifacetado quanto exigente e empenhado em cada projecto a que se dedicava. A sua falta será profundamente sentida", escreveu o secretário de Estado da Cultura depois de tomar conhecimento da morte do criador de 72 anos, "personalidade que imprimiu sempre uma marca de contemporaneidade e modernidade na música ligeira portuguesa".

Pedro Osório morreu na manhã desta quinta-feira, no Hospital de S. Francisco Xavier, em Lisboa, após sete anos de luta contra o cancro.

Francisco José Viegas Pedro Osório Secretário de Estado da Cultura Cancro
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)