Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Gémeas bizarras no Taborda

Para quem aprecia espectáculos fora do comum, acaba de estrear, no Teatro Taborda, em Lisboa, ‘As 4 Gémeas’, peça de Copi (1939-1987) encenada por Joana Brandão.
2 de Junho de 2006 às 00:00
Joana Seixas, Carla Bolito, Rita Calçada e Joana Brandão
Joana Seixas, Carla Bolito, Rita Calçada e Joana Brandão FOTO: d.r.
O autor, que nasceu na Argentina mas se afirmou como dramaturgo em França, foi muito popular na década de 70 graças às suas peças de conteúdo tendencialmente absurdo. Este texto não é excepção. Dois pares de gémeas encontram-se no Alasca. Duas são ladras e têm milhões na Suíça. As outras duas parecem ser enfermeiras. Todas elas são imortais (morrem e ressuscitam constantemente!) e consomem drogas. A partir deste material, a encenadora dirigiu um espectáculo em que as actrizes se mexem e falam como bonecos e se comportam como se estivessem num parque infantil.
Se o texto parece inconsequente, a encenação pouco lhe acrescentou. A seu favor, porém, pesa a interpretação das actrizes, que dão corpo às personagens com competência e, sobretudo, a coreografia. A forma como ocupam o palco e se movimentam é o melhor do trabalho.
Ver comentários