Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

GNR “renascem” ao fim de 30 anos

Os GNR lançam amanhã um novo álbum. ‘Retropolitana’ é o primeiro registo de originais do grupo em oito anos e assinala o início de uma nova etapa para a banda do Porto. "É um pouco como renascer", disseram ao CM.
27 de Junho de 2010 às 00:30
Rui Reininho, Tóli e Jorge Romão estão de volta aos discos e garantem que ‘Retropolitana’ é uma viagem pop
Rui Reininho, Tóli e Jorge Romão estão de volta aos discos e garantem que ‘Retropolitana’ é uma viagem pop FOTO: direitos reservados

Na verdade, Rui Reininho, Tóli César Machado e Jorge Romão romperam o contrato com a sua editora de sempre (Valentim de Carvalho) e tiveram de procurar uma nova ‘casa’. Além do divórcio, ‘Retropolitana’ é o primeiro disco dos GNR gravado no seu estúdio e com produção própria. "É outra circunstância de termos gravado sem editora. Gravámos às nossas custas e depois fomos procurar quem estava interessado em trabalhar", disse Reininho.

A rescisão com a editora, porém, deixou cicatrizes. "Sempre demos uns anos mais ao casamento", atirou Tóli. "Estamos a falar de uma banda com 30 anos, que fez concertos em Alvalade, nas Antas, em Macau, Paris, Brasil... e não há nada documentado, nada filmado. Nem o concerto com a orquestra da GNR, que nunca pensámos conseguir fazer, nem isso foi feito (para DVD)", juntou.

Apesar das contrariedades, ‘Retropolitana’ "foi um disco fácil de fazer", adiantou Tóli, compositor e produtor do disco. "Há alturas em que não sai nada, mas neste caso os temas foram nascendo com naturalidade", disse. Para Reininho, trata-se "de um disco à GNR". E explicou: "A única pressão era a de termos canções prontas para tocar ao vivo, porque tínhamos de refrescar o repertório", revelou, salientando "o risco" inerente, "já que não tínhamos o disco cá fora". Para o vocalista, o título "não traduz a intenção de ter um som ‘vintage’. Nada disso, ‘Retropolitana’ é como uma viagem pop, com várias estações (canções) onde as pessoas podem sair, como no Metro", disse. "E é também um jogo de palavras de que gosto, como foi com o ‘Independança’ (1982) ou o ‘Psicopátria’ (1986)".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)