Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Governo elogia Maria José Valério como figura inesquecível da canção portuguesa

Cantora morreu vítima da Covid-19.
Lusa 3 de Março de 2021 às 15:43
Maria José Valério
Maria José Valério FOTO: Paulo Calado
A ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou a morte da cançonetista Maria José Valério, ocorrida esta quarta-feira, aos 87 anos, recordando-a como uma "figura inesquecível da canção portuguesa".

"Entre as várias vozes que animaram a canção portuguesa, Maria José Valério manteve sempre um lugar de especial afeição junto dos públicos, sendo os temas por si popularizados cantados e recordados entre várias gerações", lê-se na nota de pesar.

Graça Fonseca recorda que, "da rádio ao teatro de revista, a intérprete faz parte de uma galeria de artistas que contribuíram para o imaginário popular português, sendo a sua persistência na prática profissional um exemplo de dedicação ao público que sempre admirou a sua irreverência e a alegria contagiante, que passava nas suas interpretações".

De seu nome completo Maria José Valério Dourado, a cançonetista nasceu a 3 de maio de 1933, na Amadora, nos arredores de Lisboa.

Era sobrinha do maestro Frederico Valério (1913-1982) e "estreou-se em 1952, na Emissora Nacional, depois de ter frequentado com sucesso o Centro de Preparação de Artistas da Rádio", lê-se na nota ministerial.

A intérprete de "Menina dos Telefones" e criadora da "Marcha do Sporting", adotada como hino do clube lisboeta, morreu no Hospital de Santa Maria, na capital portuguesa, onde se encontrava internada, vítima da Covid-19.

Maria José Valério Dourado Graça Fonseca artes cultura e entretenimento questões sociais música morte
Ver comentários