Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

Grupo de Acção Cultural de regresso

Os quatro discos lançados pelo Grupo de Acção Cultural (GAC) entre os anos de 1975 e 1978 vão ser reeditados sábado, 1 de Maio, 36 anos depois de "um grupo de trabalhadores culturais" ter fundado o CAC, Colectivo de Acção Cultural.
30 de Abril de 2010 às 18:10
Disco do GAC
Disco do GAC FOTO: d.r.

Os discos em questão são 'A Cantiga é Uma Arma' (1975), 'Pois Canté!!' (1976), '...E Vira Bom' (1977) e '...Ronda de Alegria', de 1978.

O GAC foi formado em 1974, em pleno período revolucionário pós 25 de Abril, e resulta de uma cisão no CAC que integrava, entre muitos outros, José Mário Branco, José Afonso, Francisco Fanhais, Fausto, Júlio Pereira e Vitorino. Da cisão, motivada por razões políticas, nasceu o GAC, com José Mário Branco, Fausto, Tino Flores e Afonso Dias, entre outros.

Até 1979, altura da extinção, o GAC lançou quatro discos, um património que inclui desde canções "de agitação e propaganda" ('A Cantiga É uma Arma') a formas mais tradicionais, como em '...E Vira Bom'.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)