Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Gulbenkian cria cinco galardões

Cinco prémios, um ciclo de cinema (ver caixa) e conferências são algumas das novidades anunciadas ontem por Rui Vilar, presidente do conselho de administração da Fundação Calouste Gulbenkian (FCG), no âmbito das comemorações do 50.º aniversário da fundação.
17 de Outubro de 2006 às 00:00
Rui Vilar, presidente do conselho de administração da FCG
Rui Vilar, presidente do conselho de administração da FCG FOTO: Marta Vitorino
No valor de cem mil euros, o Prémio Internacional visa distinguir projectos na área dos Direitos Humanos e do Ambiente. O presidente do júri do prémio, a ser atribuído alternadamente em cada ano a cada uma das categorias, será sempre o ex-Presidente da República Jorge Sampaio.
Reconhecer uma pessoa ou instituição que se tenha evidenciado por uma actuação exemplar e relevante nas quatro áreas estatutárias da FCG – Beneficência, Ciência, Educação e Arte – é o objectivo dos outros quatro Prémios Gulbenkian, cada um no valor de 50 mil euros e a entregar anualmente a 20 de Julho, dia do fundador da instituição, Calouste Gulbenkian. Estes cinco prémios vão ser anunciados no início de Novembro, sendo atribuídos pela primeira vez em 2007.
‘Que valores para este tempo?’ é o tema de uma conferência a decorrer entre 25 e 27 deste mês e que contará com a participação de especialistas nacionais e internacionais.
Em Janeiro de 2007, Lisboa e Porto vão receber seis premiados com o Nobel da Medicina – cujos nomes serão oportunamente divulgados – que, no âmbito do Fórum Gulbenkian Saúde, realizarão quatro conferências na capital e duas na Invicta.
Aprovado foi, entretanto, o novo código de conduta da administração da FCG, que surge agora mais rigoroso. Para os funcionários, o código encontra-se ainda em discussão.
Quando à Orquestra, que, tal como CM já anunciou foi alargada de 60 para 66 músicos, Rui Vilar adiantou que as audições decorrem a bom ritmo.
CICLO EVOCA 50 FILMES INESQUECÍVEIS Cinquenta filmes inesquecíveis escolhidos por João Bénard da Costa, director da Cinemateca de Lisboa, vão integrar o ciclo ‘Como o cinema era belo’, que se inicia a 4 de Novembro, no Grande Auditório da FCG. O ciclo, que se prolonga até 18 de Fevereiro de 2007, exibirá três filmes às sextas-feiras (feriados), sábados e domingos, às 15h30, 18h30 e 21h30. ‘O Vale era Verde’, de John Ford; ‘Estrelas da Minha Coroa’, de Jacques Tourner, ‘E.T. – O Extraterrestre’; ‘Esplendor na Relva’, de Elia Kazan, e ‘Os Amantes Crucificados’, de Kenji Mizoguchi, são alguns dos filmes escolhidos por Bénard da Costa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)