Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

Indústria perde acima do esperado

A indústria cinematográfica mundial perdeu mais de 6,1 mil milhões de dólares (4,8 mil milhões de euros) em 2005, um valor superior ao esperado pelos analistas do sector. O relatório foi ontem divulgado no ‘Wall Street Journal’ e revela perdas 75 por cento mais elevadas do que inicialmente considerado.
4 de Maio de 2006 às 00:00
Na origem destas perdas estão a pirataria de DVD e os ‘downloads’ ilegais feitos através da internet, situação que vários países em todo o mundo se têm esforçado por combater, apertando a fiscalização.
A perda de receitas do sector passa também pela redução nas vendas de bilhetes, situação que os analistas acreditam poderá inverter-se em 2006, devido ao lançamento de filmes como ‘Missão Impossível III’ (hoje em estreia mundial) e ‘O Código Da Vinci’ (18 de Maio). Segundo fontes da indústria, películas como as referidas e ainda o regresso ao grande ecrã de novas aventuras do ‘Super Homem’ e do ‘Homem Aranha’ poderão ‘insuflar’ as receitas, contrariando a curva descendente verificada em 2005.
O estudo revela ainda que os México é o país que mais consome filmes piratas dos EUA, logo seguido pela China e Rússia.
As perdas da indústria cinematográfica foram conhecidos no mesmo dia em que as autoridades informaram que estão a fiscalizar 12 cidades onde se vendem cópias-pirata de CD e DVD, nas esquinas, mercados e lojas. Nova Iorque, Atlanta, Filadélfia, S. Francisco, Dallas, Los Angeles e Miami encontram-se no grupo de cidades infractoras identificadas pelas autoridades competentes.
Por cá, Portugal não é excepção no combate à pirataria e aos ‘downloads’ ilegais e, o ano passado, a IGAEC (Inspecção-Geral das Actividades Culturais) efectuou mais de 100 mil apreensões de DVD, DVR-R e cassetes-vídeo com obras musicais e videográficas. Um valor que traduz um aumento na ordem dos 50 por cento a nível de apreensões e infracções detectadas pelo organismo nas várias áreas culturais em relação ao ano anterior.
Ver comentários