Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
4

Inéditos de Júlio no Porto

Pinturas e desenhos inéditos da autoria do artista plástico português Júlio vão estar, a partir de hoje e até fim de Dezembro, expostos na recém-inaugurada Galeria São Mamede, no Porto.
12 de Novembro de 2005 às 00:00
A exposição, que visa homenagear uma figura ímpar da arte do século XX em Portugal, apresenta pinturas a óleo e desenhos sobre papel realizados entre os anos 20 e 70 e nunca antes expostos ao público.
Júlio, nome artístico de Júlio Maria dos Reis Pereira (1902-1983), simboliza o próprio espírito do Modernismo português. A sua exuberante criatividade em sintonia com o contexto internacional tornou-o precursor de movimentos tão significativos do século XX em Portugal, como a Abstracção, o Expressionismo e o Surrealismo.
A primeira fase da pintura de Júlio caracteriza-se por um cromatismo muito vivo e um dramatismo próximo do expressionismo alemão. Em 1936, o artista dedicou-se ao desenho, sobretudo a tinta-da-china. Nos anos 70 voltou à pintura, numa forma mais próxima do cubismo.
O artista, que expôs em Portugal e no estrangeiro, está representado em importantes colecções privadas e públicas bem como nos principais museus nacionais de arte moderna.
Júlio, irmão do escritor José Régio – cujos livros frequentemente ilustrou –, também se distinguiu como poeta. Sob o pseudónimo Saul Dias, editou diversos livros.
Com a abertura do espaço no Porto, à R. D. Manuel II, n.º 260, a São Mamede, consolida-se como uma das mais importantes galerias do País.
Ver comentários