Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

Isaac Hayes estrela em réveillon animado

O funky e a soul dos anos 60/70 foram a tónica dominante do espectáculo com que o norte-americano Isaac Hayes brindou a chegada de 2006 no Casino Estoril. Afinal, a música que interpreta há cerca de 40 anos e que o transformou num dos maiores nomes do género.
2 de Janeiro de 2006 às 00:00
Isaac Hayes envergou o seu característico albernoz
Isaac Hayes envergou o seu característico albernoz FOTO: d.r.
No Salão Preto e Prata, Hayes apresentou-se com uma banda de quatro teclados/sintetizadores, coro feminino, percussão, bateria e guitarras. Uma parafernália electrónica que resultou em cheio para encher a sala com os sons deste ‘monstro’ da música negra. Clássicos como ‘Shaft’, ‘Soulman’, ‘Walk On By’ e ‘Phoenix’ motivaram uma corrida à pista de dança.
Vestido com um albernoz em tecido de renda amarela e voz de barítono intacta, Isaac Hayes esteve em palco cerca de hora e meia e retirou--se feliz e satisfeito pelo efeito positivo produzida pela sua prestação na primeira hora de 2006.
APELO À DANÇA
A actuação de Hayes – a estrela do ‘réveillon’ – foi precedida por um requintado jantar e pela actuação de outros artistas.
José Cid ocupou o palco na derradeira hora de 2005, demonstrando o estatuto de animador vivo e comunicativo. Na companhia do guitarra baixo Mike Sargent, Cid lembrou os grandes êxitos do quarteto que ambos integraram nos anos 60 – o 1111 – e ofereceu momentos memoráveis que apelaram à dança.
Entre a meia-noite e o concerto de Hayes, actuou José Cabeleira que, acompanhado de uma banda extremamente bem ensaiada, deu continuidade à animação começada por José Cid.
Ver comentários