Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
4

James renascem com um disco feliz

Os James são como os gatos, têm sete vidas, parece conseguirem resistir a tudo", diz o bem humorado Jim Glennie quando o assunto vai parar ao regresso dos James à ribalta, sete anos depois de colocarem um ponto final numa carreira longa, conturbada e desgastante, iniciada em 1982, em Manchester.
1 de Maio de 2008 às 00:30
James renascem com um disco feliz
James renascem com um disco feliz FOTO: D.R.

Aos 44 anos, Jim é o homem mais bem preparado para falar do grupo inglês. Está na formação desde o primeiro minuto e, apesar de tocar baixo e dar pouco nas vistas, tem sido um dos músicos mais presentes na vida do colectivo. Em 2006, o guitarrista e violinista Saul Davies confirmou-o à revista britânica ‘Q’, ao afirmar que Jim tinha representado a "oposição interna" ao vocalista Tim Booth quando este começou a desviar a sonoridade para o rock de cariz experimental.

"Passámos períodos maus, mas voltámos porque acima de tudo temos um grande prazer em fazer música. Além disso, a idade também ajuda a resolver assuntos que parecem não ter solução", explica Jim.

O novo disco é prova disso mesmo. ‘Hey Ma!’ cheira a James da melhor fase, quando a meio da década de 90 Manchester estava no centro do mundo musical e havia uma boa banda na cidade a cada esquina. "Há nele muito de ‘Seven’ e de ‘Laid’, é verdade. Foi um dos nossos melhores momentos, se não mesmo o melhor, e não fazia sentido deitarmos o passado para trás das costas só porque já tínhamos usado essa sonoridade", diz Jim Glennie antes de avisar: "Mas, ao contrário dos outros, não é um registo alegre em termos de mensagem. Há muita coisa que abordamos que tem a ver com problemas sociais, com a guerra, com a política norte-americana".

Sete anos depois de terem abandonado a música, os James querem, percebe-se em ‘Hey Ma!’, compensar o tempo perdido. Portugal vai poder confirmá-lo a 10 e 11 de Maio. Primeiro na Queima das Fitas de Coimbra, depois nas festas do Enterro da Gata, em Braga.

APONTAMENTOS

CRÍTICAS POSITIVAS

‘Hey Ma!’ tem recebido boas críticas por parte da imprensa britânica, o que deixa Jim Glennie surpreendido: "Para um grupo com tantos anos, até têm sido bem simpáticos."

PORTUGAL EM ALTA

O baixista afiança que Portugal é um dos países que melhor trata os James: "Tem sido assim desde o início. Há grande empatia entre nós e os portugueses. Voltar deixa-nos felizes."

Ver comentários