Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

João Salaviza é menino de ouro (COM TRAILER)

João Salaviza está de parabéns. Não só pelo 28º aniversário, que celebra hoje, mas porque se tornou um dos raros realizadores a conseguir a proeza de conquistar, no formato de curta-metragem, os prémios mais cobiçados em dois dos mais importantes festivais do Mundo. Primeiro, a Palma de Ouro de Cannes, em 2009, com ‘Arena’, e ontem, com o Urso de Ouro que sagrou ‘Rafa’ a melhor ‘curta’ da secção competitiva do Festival de Berlim.

19 de Fevereiro de 2012 às 01:00
Salaviza recebeu mais um prémio, na véspera de fazer 28 anos
Salaviza recebeu mais um prémio, na véspera de fazer 28 anos FOTO: Britta Pedersen/Epa

Surpreendido, Salaviza acabou por dedicar a conquista ao Governo português. Ainda que com a condição "de nos ajudarem nos próximos anos, pois não sabemos o que vai acontecer com o nosso cinema".

Apesar dos 25 minutos de duração de ‘Rafa', sente-se ali o pulsar de uma longa-metragem. No olhar deste adolescente de 13 anos (Rodrigo Perdigão) percebe-se a maturidade de uma vida na rua, no passado da irmã que acarinha um bebé, mas também na ligação materna. É precisamente à procura da mãe que viaja de mota à pendura para Lisboa, onde vagueia, até que o deixam vê-la.

"Acabo por filmar sempre as mesmas coisas", disse o cineasta ao CM. "Pessoas que fogem, que deambulam, que têm dificuldade em existir dentro de um lugar abrangente que é a sociedade." De Almada à capital, num registo urbano, actual e cativante.

Salaviza revelou ainda os seus planos: "Estou já a preparar a minha primeira longa-metragem, mas num ano trágico, em que está tudo a mudar." Em todo o caso, "sou muito novo e está ainda tudo por fazer".

'TABU' TEM MAIS UM PRÉMIO

Ao prémio da crítica (FIPRESCI), anunciado na sexta--feira, ‘Tabu', de Miguel Gomes, juntou ontem o Prémio Alfred Bauer, galardão que recompensa obras "de particular inovação" atribuído em memória do fundador do Festival de Berlim.

Ao agradecer a distinção, o realizador português mostrou--se surpreendido, pois achava "que tinha feito um filme antiquado", acrescentando ainda, com uma ponta de ironia: "Se calhar estava enganado."

‘Tabu', que tem parte da acção na África colonial, era um favorito ao Urso de Ouro nas longas-metragens, mas o júri liderado por Mike Leigh preferiu ‘Cesare Deve Morire', dos irmãos italianos Paolo e Vittorio Taviani.

JOÃO SALAVIZA PRÉMIO URSO DE OURO BERLIM CINEMA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)