Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Juventude amargurada

Pais ausentes e adaptação a um novo quotidiano são principais temas do livro 'Duas Vidas'.
Pedro Rodrigues Santos 29 de Maio de 2015 às 16:24
Sheliza Firoz Hajiani escreveu 'Duas vidas'
Sheliza Firoz Hajiani escreveu 'Duas vidas' FOTO: D.R.

‘Duas Vidas’ é a obra de estreia de Sheliza Firoz Hajiani no mundo da literatura, que hoje à noite, às 21h30, é apresentado na FNAC Alfragide pela autora de 16 anos. Publicado sob a chancela da Chiado Editora, tem a jovem Melanie como figura central, uma rapariga que tenta adaptar-se a um mundo completamente diferente na grande cidade.

 

Uma proposta de trabalho irrecusável oferecida ao pai, obrigou a família a mudar-se para Lisboa, com todos os problemas que essa mudança trouxe ao seu quotidiano. Sem o apoio dos pais, a personagem acaba por entrar num mundo paralelo, onde tudo o que defendia e acreditava começa a perder sentido.

 

Nascida em Portugal em fevereiro de 1999, ‘Duas Vidas’ é o primeiro livro da jovem autora, iniciado quando tinha apenas 12 anos. Filha de mãe tanzaniana e pai paquistanês, Sheliza Firoz Hajiani aborda as emoções, os medos e as angústias que assaltam uma jovem em profunda mudança.

 

"É um livro que aborda" temas como o ‘bullying’ e a toxicodependência, e a pressão que é exercida sobre os "adolescentes para se integrarem num grupo", explica. "De certa forma, esta obra também é dirigida aos pais que estão ausentes na vida dos filhos".

Ver comentários