Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
4

Katy Perry adoça noite de Lisboa (COM FOTOGALERIA)

Uma curta-metragem deu início ao concerto de Katy Perry no Campo Pequeno, em Lisboa, que ontem à noite arrancou a digressão California Dreams. Na tela, a norte-americana aparecia a trabalhar num talho, sem gosto nisso, até ser resgatada por um homem que a levou para o mundo dos doces.
21 de Fevereiro de 2011 às 00:30
O cenário açucarado revelado em Lisboa é uma das razões de ser dos nove camiões que transportam o material da digressão
Uma cenografia arrojada e o intenso odor a algodão-doce 'casaram-se' bem com as canções da artista californiana
A subida da cortina revelou uma tela onde ao longo do concerto passaram segmentos de uma história protagonizada pela própria Katy Perry
Terminada a canção, Katy Perry perguntou aos espectadores se tinham ali estado a ouvi-la em 2009. Todos responderam com um sonoro 'yes!'
Katy Perry perguntou quem eram as raparigas mais bonitas da plateia antes de provocar euforia com o seu mega-êxito 'I Kissed a Girl'
Chegada ao palco enfeitado com chupa-chupas gigantes, a cantora arrancou o espectáculo com 'Teenage Dream'
Minutos antes, os seis mil fãs que rumaram ao Campo Pequeno interrogavam-se sobre o que iria aparecer do outro lado da cortina
Ritmo da estrela pop de 26 anos não demorou a arrebatar uma plateia cheia de adolescentes
Temas dos álbuns 'One of the Boys' e 'Teenage Dream' foram a base de um concerto com uma ou outra surpresa
Tal como na sua primeira passagem pelo Campo Pequeno, Katy Perry não deixou de tocar guitarra
Jogadores de futebol americano e flores estiveram a acompanhá-la durante mais de uma hora e meia de actuação
Coreografias estavam bem estudadas no primeiro concerto de uma digressão que percorrerá quatro continentes
O cenário açucarado revelado em Lisboa é uma das razões de ser dos nove camiões que transportam o material da digressão
Uma cenografia arrojada e o intenso odor a algodão-doce 'casaram-se' bem com as canções da artista californiana
A subida da cortina revelou uma tela onde ao longo do concerto passaram segmentos de uma história protagonizada pela própria Katy Perry
Terminada a canção, Katy Perry perguntou aos espectadores se tinham ali estado a ouvi-la em 2009. Todos responderam com um sonoro 'yes!'
Katy Perry perguntou quem eram as raparigas mais bonitas da plateia antes de provocar euforia com o seu mega-êxito 'I Kissed a Girl'
Chegada ao palco enfeitado com chupa-chupas gigantes, a cantora arrancou o espectáculo com 'Teenage Dream'
Minutos antes, os seis mil fãs que rumaram ao Campo Pequeno interrogavam-se sobre o que iria aparecer do outro lado da cortina
Ritmo da estrela pop de 26 anos não demorou a arrebatar uma plateia cheia de adolescentes
Temas dos álbuns 'One of the Boys' e 'Teenage Dream' foram a base de um concerto com uma ou outra surpresa
Tal como na sua primeira passagem pelo Campo Pequeno, Katy Perry não deixou de tocar guitarra
Jogadores de futebol americano e flores estiveram a acompanhá-la durante mais de uma hora e meia de actuação
Coreografias estavam bem estudadas no primeiro concerto de uma digressão que percorrerá quatro continentes
O cenário açucarado revelado em Lisboa é uma das razões de ser dos nove camiões que transportam o material da digressão
Uma cenografia arrojada e o intenso odor a algodão-doce 'casaram-se' bem com as canções da artista californiana
A subida da cortina revelou uma tela onde ao longo do concerto passaram segmentos de uma história protagonizada pela própria Katy Perry
Terminada a canção, Katy Perry perguntou aos espectadores se tinham ali estado a ouvi-la em 2009. Todos responderam com um sonoro 'yes!'
Katy Perry perguntou quem eram as raparigas mais bonitas da plateia antes de provocar euforia com o seu mega-êxito 'I Kissed a Girl'
Chegada ao palco enfeitado com chupa-chupas gigantes, a cantora arrancou o espectáculo com 'Teenage Dream'
Minutos antes, os seis mil fãs que rumaram ao Campo Pequeno interrogavam-se sobre o que iria aparecer do outro lado da cortina
Ritmo da estrela pop de 26 anos não demorou a arrebatar uma plateia cheia de adolescentes
Temas dos álbuns 'One of the Boys' e 'Teenage Dream' foram a base de um concerto com uma ou outra surpresa
Tal como na sua primeira passagem pelo Campo Pequeno, Katy Perry não deixou de tocar guitarra
Jogadores de futebol americano e flores estiveram a acompanhá-la durante mais de uma hora e meia de actuação
Coreografias estavam bem estudadas no primeiro concerto de uma digressão que percorrerá quatro continentes

Eram 21h00 quando Katy Perry subiu ao palco de um recinto que já tinha o prometido cheiro a algodão doce no ar, elevando-se entre chupa-chupas gigantes para cantar ‘Teenage Dream’ aos seis mil que encheram a arena. Enquanto na plateia se destacavam adolescentes de cabeleira roxa, lá em cima havia bailarinos vestidos de jogadores de futebol americano ou de flores.

"Olá! Bem-vindos à California Dreams Tour. Estive aqui há cerca de ano e meio. Vocês estiveram cá?", perguntou no fim do primeiro tema da noite. A resposta eufórica não se fez esperar, com um sonoro "yes!", enquanto choviam moedas de chocolate do palco.

Aproveitando para trocar de roupa enquanto passava outra curta--metragem, Katy lançou-se na interpretação de ‘Ur so Gay’, um dos seus primeiros êxitos, com o refrão cantado em uníssono pelo público. A cantora pediu para comer um ‘brownie’ gigante empunhado pelos bailarinos, mas uma trinca bastou-lhe para sentenciar que "isto cheira bem mas não sabe bem", o que motivou uma vingança do agrado de muitos espectadores: foi-lhe retirada a saia e a cantora ficou em palco só de ‘babydoll’.

"Não sei o que tinha o bolo mas fez-me sentir muito sensual. Quero ver a cara das raparigas na plateia", ordenou, surgindo de repente focos a iluminar rostos das fãs, até que a pergunta "quem é a mais bonita da plateia?" deixou claro o que estava para vir. A multidão entrou em delírio com os primeiros acordes de ‘I Kissed a Girl’, iniciado ao som do piano mas que foi acelerando.

"Em parte, também eu sou portuguesa", partilhou com o público, referindo-se à família materna, antes do momento mais intimista, em que cantou ‘The One That Got Away’, só com guitarras, lembrando um namorado de que fugiu.

Ainda teve tempo para desejar "feliz aniversário" a Rihanna, de quem interpretou ‘Only One in the World’, dedicou ‘Thinking of You’ a "todas as Katy Cats" – "vejam quão crescidas estamos!" – e induziu euforia na plateia com ‘Hot N’Cold’. Todos cantaram e pularam e Katy mudou de vestido cinco vezes num biombo "com poderes mágicos".

A noite terminou com ‘I Wanna Dance with Somebody’, bailando com um ‘gato gigante’ e cinco fãs que subiram ao palco. Cumprida a promessa da mistura para todos os sentidos, Katy Perry não se esqueceu de agradecer aos portugueses: "Obrigado por me deixarem começar com vocês."

LEGIÃO DE FÃS MUITO JOVENS

Olhando para os fãs de Katy Perry que rumaram ao início da tarde de domingo ao Campo Pequeno, era fácil entender o horário de um concerto em que as portas abriram logo às 20h00 e cuja cantora subiu ao palco uma hora mais tarde. Afinal, na manhã seguinte há aulas à espera da esmagadora maioria do público.

Uma das adolescentes que não quiseram perder a segunda passagem da cantora norte-americana por Portugal foi Sara Ramos. A lisboeta de 16 anos disse ao CM que adora as músicas porque "a Katy Perry mostra muito à--vontade no palco e é tudo o que uma adolescente pode sonhar ser". A estrela da noite, que já celebrou 26 aniversários, certamente agradeceria a gentileza da jovem que prefere o novo disco ‘Teenage Dreams’.

Por entre bandeiras portuguesas, brasileiras e espanholas, um grupo de amigos revelou outra motivação para assistir ao arranque da digressão mundial California Dreams. Luís Jardim, 18 anos, disse que o seu tema favorito é ‘California Gurls’. Não só porque "dá mais energia e vontade de dançar", mas também porque o teledisco "é aquele em que ela aparece mais boa".

A seu lado, Patrícia Batista, de 17 anos, confessou preferir ‘I Kissed a Girl’ – o que provocou de imediato sonoras gargalhadas entre os que a acompanhavam –, pois tem "uma letra muito mais engraçada do que as novas". Para os jovens que compraram bilhete esta semana ficou a tristeza de ficarem na bancada e não na plateia: "Seria brutal para podermos dançar."

REGRESSO A PALCO CONHECIDO

O Campo Pequeno não é novidade para Katy Perry. A norte-americana esteve no mesmo palco em 2009, estreando-se em Portugal, a apresentar o seu álbum de estreia, ‘One of the Boys’, após a mudança de nome artístico de Katy Hudson para Katy Perry (nome de solteira da mãe). Tudo para evitar confusões com a actriz Kate Hudson.

‘Hot N’Cold’ e ‘I Kissed a Girl’, temas criados para criticar um ex-namorado, após uma zanga entre ambos, levaram ao êxtase uma plateia bem preenchida, numa altura em que a curvilínea californiana ainda estava longe de ser uma das principais estrelas da pop. A interacção com o público, como o momento em que convidou um fã português a subir ao palco e partir a sua guitarra, encarregaram-se disso. Mas não foi só o público a ficar deliciado com a sua música: Madonna chegou a afirmar que o tema ‘Ur So Gay’ era um dos seus preferidos.

katy perry concerto música lisboa campo pequeno
Ver comentários