Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

Lisboa volta a viver revolução de Abril

Blindados regressaram ao Terreiro do Paço para gravar história de Salgueiro Maia.
Miguel Azevedo 16 de Junho de 2020 às 08:32
Gravações foram retomadas na semana passada depois de terem sido interrompidas por causa da pandemia
Gravações foram retomadas na semana passada depois de terem sido interrompidas por causa da pandemia FOTO: Lusa
Estamos nas primeiras horas da manhã de 25 de Abril de 1974. Vários blindados, vindos de Santarém, montam cerco aos ministérios, no Terreiro do Paço, em Lisboa.

O brigadeiro Junqueira dos Reis, 2º comandante da Região Militar de Lisboa, que se mantém leal às forças da ditadura, exige a Salgueiro Maia, de lenço branco na mão, que se renda, e ordena ao cabo, no topo do blindado, que dispare sobre ele. Este recusa, abandona o posto e segue em direção ao capitão. Exaltado, Junqueira dos Reis exige que os restantes soldados disparem, ordem que nenhum cumpre.

Aquele que é um dos episódios mais marcantes do 25 Abril foi reconstituído, no local do acontecimento, no passado domingo, 46 anos depois da revolução, para o filme ‘Salgueiro Maia - O Implicado’. Foi assim, de resto, que se retomou a rodagem do filme sobre a vida do capitão de Abril que havia sido interrompida há dois meses por causa da pandemia.

“A cena é emblemática e [no filme] foi interpretada com alguma liberdade poética”, disse à Lusa o realizador Sérgio Graciano, adiantando que foi recriada um pouco da história, embora reconheça que “ninguém conta objetivamente aquilo que se passou, à exceção de Salgueiro Maia, talvez”.

SAIBA MAIS
240
foi o número de homens que Salgueiro Maia liderou na manhã de 25 de Abril a partir de Santarém. Foi com eles que avançou sobre Lisboa contra a ditadura.

Histórias inéditas
Com guião de João Lacerda de Matos, partindo da biografia e da investigação de António de Sousa Duarte, o filme oferece uma abordagem moderna, intimista e emocional sobre Salgueiro Maia, retratando histórias que ainda não foram contadas sobre o capitão de Abril. Salgueiro Maia morreu de cancro a 3 de abril de 1992.
Ver comentários