Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Lisboa vai receber mestres espanhóis

Exposição com 59 quadros raramente exibidos ao público.
Sandra Rodrigues dos Santos 19 de Novembro de 2015 às 19:00
'El bebedor', de José de Ribera, saúda os visitantes num dos cinco núcleos da exposição
'El bebedor', de José de Ribera, saúda os visitantes num dos cinco núcleos da exposição FOTO: Mariline Alves
Obras dos mestres da pintura espanhola, algumas das quais nunca antes exibidas ao público, podem ser vistas a partir desta sexta-feira e até 3 de abril de 2016 no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA). São 59 quadros da Coleção Masaveu, aos quais se junta um estudo da portuguesa Casa dos Patudos.

"São obras cujo valor patrimonial está muito além do valor financeiro", frisou ao CM o diretor do MNAA, António Filipe Pimentel, adiantando que se trata "de uma das mais prestigiadas coleções espanholas e a mais reservada, dado que poucas vezes foi mostrada ao público".

O comissário da exposição, Ángel Aterido, explicou que as obras pertencem à família espanhola Masaveu, que as conserva nas suas casas e escritórios e só recentemente optou por as expor publicamente.

Esta é a terceira vez que os Masaveu permitem uma exposição do seu património e a primeira fora de Espanha. "A proposta apresentada pelo Museu Nacional de Arte Antiga foi aquela que mais agradou à família", adiantou Aterido.


A obra de destaque na exposição é ‘Jesus é despojado das suas vestes’ de El Greco, mas vários outros quadros de pintores como Francisco Goya, Francisco de Zurbarán ou Joaquín Sorolla podem ser apreciados nesta mostra dividida em cinco núcleos, que se espraiam por duas alas do museu e que vão desde o século XV até ao século XX.

‘Primavera’ de Julio Romero de Torres, ‘San Andrés’ de José de Ribera e ‘La Familia de Rafael Errazuriz Urmeneta’ de Sorrolla são três das obras mostradas ao público pela primeira vez.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)