Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

LUIZ GOES EM EDIÇÃO DE LUXO

“Esta edição é muito autobiográfica mas não é o fim. Ainda tenho muito para fazer. Não estou morto. Ainda não me tiraram as medidas”.
7 de Fevereiro de 2003 às 00:00
Foi desta foma que Luiz Goes, 70 anos, apresentou quarta-feira, em Lisboa, aquele que é, muito provavelmente, um dos mais ambiciosos lançamentos discográficos a versar sobre a canção de Coimbra. Tem por título “Canções Para Quem Vier” e é apresentado numa caixa de luxo que resulta de uma parceria entre as editoras EMI-Valentim de Carvalho e Universal, as duas “casas” por onde passou Luis Goes.

“Canções Para Quem Vier” reúne quase 70 temas gravados pelo médico entre 1952 e 2002 e oferece um conjunto de textos e fotos, algumas delas inéditas. Trata-se de uma edição de luxo, que segundo o próprio David Ferreira, da EMI-VC, “é uma daquelas edições à estrangeira com que qualquer editora anda sempre a sonhar”.

Esta é a primeira edição conjunta das duas editoras no sentido de reunir material gravado por artistas que têm em comum. Segue-se Carlos Paredes e, para breve, podem estar na calha iguais registos de artistas como Jorge Palma, Xutos e Pontapés, Sergio Godinho ou Carlos do Carmo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)