Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Mais seis anos de festival

A vila minhota de Vilar de Mouros garantiu a continuidade do seu festival de Verão para os próximos seis anos e, até 2010, vai voltar a receber milhares de forasteiros. Mas o pai dos festivais rock em Portugal por onde já passaram grandes nomes nacionais e internacionais vai sofrer algumas alterações.
12 de Dezembro de 2004 às 00:00
Os grandes palcos vão continuar em Vilar de Mouros
Os grandes palcos vão continuar em Vilar de Mouros FOTO: Cameraman Metálico JC
Uma das mais significativas prende-se com a alteração da data da sua realização, devendo o evento transitar de meados de Julho (como tem sido prática desde 1999) para Agosto, altura em que se realizam outros importantes festivais, casos do Sudoeste (Zambujeira do Mar) e do vizinho de Paredes de Coura.
A garantia da continuação do evento foi feita por Carlos Alves, presidente da Junta de Freguesia de Vilar de Mouros, segundo o qual “o futuro do festival nunca esteve em causa”.
“No entanto”, precisou, “o contrato com a anterior produtora (Música no Coração) chegou ao fim este ano e, depois de confrontados com essa situação, acabámos por receber duas propostas para continuar a realizar o festival. Uma era da Música no Coração, a outra da Porto Eventos. E acabámos por nos decidir pela segunda”.
VALORIZAR O FESTIVAL
Na base da decisão estiveram, de acordo com o presidente da Junta de Freguesia, a “melhoria de condições para Vilar de Mouros”. E não só.
“Há de facto mais contrapartidas financeiras para a Junta de Freguesia mas, sobretudo, para o próprio festival. Vamos apostar ambos – a Junta de Freguesia e a produtora –, numa valorização do festival, o que não se verificou nestes últimos anos”.
A braços com a questão da segurança na ponte romana que permite o acesso ao terreno do festival, Carlos Alves garantiu ainda que o festival vai continuar a realizar-se no mesmo local de há seis anos. devendo igualmente manter o formato de três dias de música.
"PONTE PRECISA DE OBRAS URGENTES"
Ex-líbris de Vilar de Mouros, a ponte romana (do século XIII) é a porta principal de acesso ao festival. Desde Outubro, porém, o monumento nacional está interdito ao trânsito de pesados, depois de detectadas algumas fissuras.
Segundo Carlos Alves, a interdição mantém-se, estando “neste momento a Câmara de Caminha, o IPPAR (Instituto Português do Património Arquitectónico) e a Direcção-Geral de Monumentos a estudar qual a intervenção a fazer”.
Até porque, acrescentou o presidente da Junta de Freguesia, foram notadas “cedências também na largura da ponte”. Carlos Alves reclama “obras urgentes” e a construção de uma nova ponte, “que já foi sugerida à Câmara de Caminha”, disse.
GRANDES NOMES
ELTON JOHN
Corria o ano de 1971 e o sonho do Dr. António Barge ganhava forma. Elton John foi o nome mais sonante da primeira edição, que teve ainda Manfred Mann, Amália, Pop Five...
U2
Onze anos depois, Vilar de Mouros voltou a receber um festival. Os U2 foram a revelação maior do evento, que trouxe ainda Stranglers, GNR, Sun Ra, Echo & the Bunnymen....
BOB DYLAN
O ‘Shakespeare’ das canções foi o último dos grandes nomes a passar pela pacata localidade. O concerto aconteceu em Julho último e arrastou milhares de pessoas.
Ver comentários