Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Manoel de Oliveira e cinema numa ‘casa’

Guiões, desenhos, anotações e prémios do cineasta expõem mais de 80 anos de carreira.
José Eduardo Cação 25 de Junho de 2019 às 08:37
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, inaugurou espaço que foi construído de raiz por Siza Vieira
Fundação Serralves recebe a Casa do Cinema Manoel de Oliveira. A inauguração acontece amanhã
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, inaugurou espaço que foi construído de raiz por Siza Vieira
Fundação Serralves recebe a Casa do Cinema Manoel de Oliveira. A inauguração acontece amanhã
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, inaugurou espaço que foi construído de raiz por Siza Vieira
Fundação Serralves recebe a Casa do Cinema Manoel de Oliveira. A inauguração acontece amanhã
Manoel de Oliveira, o maior cineasta português, já tem uma ‘casa’ que homenageia ao mesmo tempo a sua obra e galardões conquistados e a arte à qual dedicou mais de 80 anos de vida: o cinema.

Situada nos jardins de Serralves, no Porto, a obra de 3 milhões de euros, desenhada pelo arquiteto Siza Vieira, foi ontem inaugurada. Desenhos, anotações, guiões originais de filmes como ‘O estranho caso de Angélica’ ou o famoso ‘Leão de Ouro’ podem ser observados no espaço que pretende imortalizar a vida e obra do realizador portuense.

"Com esta casa pretendemos preservar a memória do maior cineasta português, levá-la a mais público e dá-la a conhecer às novas gerações", disse Ana Pinho, presidente da Fundação de Serralves. Entre as várias personalidades dos mais diversos quadrantes da sociedade, principalmente da sétima arte, estavam alguns dos atores que participaram nos filmes do cineasta. Quem também fez questão de participar foi o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que falou em justiça e regresso a casa.

"Esta é uma justiça a Manoel de Oliveira, ao cinema português que precisa de ser preservado e ao Porto, berço do cinema português. Com esta casa, Manoel de Oliveira regressa a casa", relembrou Marcelo.

Manoel de Oliveira, que morreu em 2015, aos 106 anos, no Porto, foi o cineasta com maior longevidade e inspirou alguns dos seus filmes nas obras da escritora Agustina Bessa-Luís.
Porto Manoel de Oliveira Marcelo Rebelo de Sousa artes cultura e entretenimento cinema Agustina Bessa-Luís
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)