Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Maria da Fé enche Coliseu

O Coliseu de Lisboa encheu-se na quinta-feira para ouvir cantar e prestar tributo a uma das mais populares fadistas, Maria da Fé. O público recebeu-a e despediu-se dela de pé, cantarolando, pelo meio, alguns dos seus êxitos.
27 de Junho de 2009 às 00:30
Fadista celebrou 50 anos a cantar
Fadista celebrou 50 anos a cantar FOTO: Vítor Mota

Para quem em 1959, aos 14 anos, ganhou no Porto, terra natal, nove escudos e um diploma pelo primeiro prémio da Rainha das Cantadeiras, foi reconfortante juntar um enorme grupo de amigos que cantaram e lhe deixaram testemunhos plenos de carinho e admiração.

O concerto começou com três temas, seguidos pela participação da primeira convidada, e amiga de longa data, Ada de Castro. Cantaram ainda António Zambujo, colaborador do Sr. Vinho, a fadista--compositora Aldina Duarte, que também passou pela afamada casa de fados, e o jovem Duarte, além do príncipe dos fadistas, Camané.

Moniz Pereira cantou umas estrofes do seu popular ‘Fado Errado’, tendo Maria da Fé brindado os admiradores com ‘Valeu a Pena’, o incontornável ‘Cantarei até que a Voz me Doa’ e terminado evocando Amália num emotivo e sentido ‘Povo que Lavas no Rio’.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)