Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Morreu Ned Beatty, ator do filme 'Super-Homem', aos 83 anos

Artista era um dos rostos mais conhecidos de filmes "Deliverance", "Superman" e "Os Homens do Presidente".
Lusa 14 de Junho de 2021 às 14:52
Ned Beatty
Ned Beatty FOTO: GettyImages
O ator norte-americano Ned Betty, um dos rostos mais conhecidos de filmes como "Deliverance", "Superman" e "Os Homens do Presidente", morreu no domingo, aos 83 anos, na sua casa, em Los Angeles, anunciou esta segunda-feira a família.

Com uma carreira de mais de cinco décadas, assente sobretudo em papéis secundários, que conseguiu, porém, levar à primeira linha do reconhecimento, Ned Beatty foi nomeado para prémios como os Emmy, os Globos de Ouro e os Óscares, nomeadamente o Óscar Melhor Ator Secundário pelo desempenho em "Network - Escândalo na TV", de Sidney Lumet, sobre o sensacionalismo nos meios de comunicação, como recorda o jornal The Hollywood Reporter.

Ned Betty nasceu em Louisville, nos Estados Unidos, em 06 de julho de 1937, e teve uma carreira extensa, sobretudo na área do cinema e da televisão, mas também no teatro, onde se estreou, no início dos anos de 1960, no Actors Theatre da sua cidade natal.

O ator fez parte do elenco de "Os Homens do Presidente" (1976), de Alan J. Pakula, sobre o escândalo Watergate, filme protagonizado por Dustin Hoffman e Robert Redford, trabalhou em "Deliverance"/"Fim de semana Alucinante" (1972), de John Boorman, e em "Nashville" (1975), de Robert Altman.

Foi Otis, cúmplice do vilão Lex Luthor (Gene Hackman), em "Super-Homem", de 1978, e regressou ao mesmo papel, ao lado de Christopher Reeve, o super-herói do planeta Krypton, em "Super-Homem II", de 1980.

"O Assassino em Mim", "Jogos de Poder", "Prelúdio de Um Beijo", "As Aventuras do Capitão América", "Noites Perigosas", "Apelo do Amor, "O Quarto Protocolo", "1941 - Ano Louco em Hollywood" foram outras produções cinematográficas que contaram com o desempenho do ator, que teve em "Baggage Claim", de 2013, a sua derradeira presença no grande ecrã.

Ned Betty também deu voz ao urso de peluche Lotso, no "Toy Story 3", em 2010.

Na televisão, entrou em produções como "Homicídios: A Vida na Rua", "CSI", "Lei e Ordem", "Crime, Disse Ela", "MASH", "Ruas de São Francisco", assim como na comédia "Friendly Fire", de 1979, e "Last Train Home", de 1990, que lhe valeram nomeações para os Emmy.

Ned Betty ainda foi nomeado para um Globo de Ouro, como melhor ator secundário, pelo filme "Hear my Song" ("Escutem a minha Canção", em tradução livre), de 1991.

Numa carreira com quase 170 personagens assumidas, em outras tantas produções do cinema e da TV, Ned Beatty também se destacou nos palcos, em peças como "Gata em Telhado de Zinco Quente", de Tennessee Williams, que fez na Broadway, em Nova Iorque, "Show Boat", de Jerome Kern e Oscar Hammerstein, que levou a palcos de Los Angeles, Denver e St. Louis, "Rei Lear", de Shakespeare, em Washington DC, e "All My Sons" e "Morte de Um Caixeiro Viajante", ambas de Arthur Miller, que levou ao palco do Actors Theatre da sua cidade natal, Louisville, na década de 1960, no início da carreira.

Entre os prémios no teatro, destaca-se o Drama Desk, atribuído às melhores produções, pelo papel de Big Daddy, em "Gata de Telhado de Zinco Quente", em Nova Iorque, em 2003.

Ver comentários