Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

Mudança poupa 300 mil euros

As entidades "acomodaram-se a certos vícios e faz todo o sentido mudar a sede da Direcção-Geral das Artes para instalações da Secretaria de Estado da Cultura". Quem o diz ao CM é o novo director-geral, Samuel Rego, que está a acompanhar as mudanças da Avenida da Liberdade para a Biblioteca Nacional.
24 de Janeiro de 2012 às 01:00
Samuel Rego corta despesas da Direcção-Geral das Artes com mudança para a Biblioteca Nacional
Samuel Rego corta despesas da Direcção-Geral das Artes com mudança para a Biblioteca Nacional FOTO: Vítor Mota

Com esta alteração da sede da Direcção-Geral das Artes (DGA), o Estado vai poupar 300 mil euros por ano. Pagava 26 mil euros por mês pelos três andares que ocupava e não vai ter de pagar renda na Biblioteca Nacional .

"Não fazia nenhum sentido continuar a ocupar estes três andares", defende Samuel Rego ao CM. Nomeado a 19 de Julho de 2011 pelo secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, o director-geral de 34 anos substituiu João Aidos, que tinha assumido a direcção há pouco mais de um ano, a convite da anterior ministra do PS, Gabriela Canavilhas.

Prometendo cortar nas despesas de funcionamento da DGA, Samuel Rego começa pela própria casa, os três andares que até agora ocupava no centro de Lisboa. Mas os cortes não se ficam por aqui.

Ainda em Novembro de 2010, Samuel Rego anunciou cortes substanciais nas verbas destinadas a subsídios e apoios a entidades culturais. Como na altura disse ao CM, "o valor de referência de redução será de menos 17 por cento" em relação ao ano passado. Acrescentou ainda ser preciso "separar o trigo do joio" e que iriam ser "premiadas as boas práticas".

Direcção-Geral das Artes Samuel Rego
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)