Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Nobel da Literatura não vai ser entregue este ano

Escândalo sexual leva academia sueca a cancelar atribuição do prémio.
4 de Maio de 2018 às 08:25
Academia do Prémio Nobel, na Suécia
Edifíco da Alfândega de Estocolmo, sede do comité do Nobel da Literatura
Jean Claude Arnault: o fotógrafo acusado de assédio sexual que cancelou entrega do Nobel da Literatura
Academia do Prémio Nobel, na Suécia
Edifíco da Alfândega de Estocolmo, sede do comité do Nobel da Literatura
Jean Claude Arnault: o fotógrafo acusado de assédio sexual que cancelou entrega do Nobel da Literatura
Academia do Prémio Nobel, na Suécia
Edifíco da Alfândega de Estocolmo, sede do comité do Nobel da Literatura
Jean Claude Arnault: o fotógrafo acusado de assédio sexual que cancelou entrega do Nobel da Literatura
A Academia Sueca anunciou esta sexta-feira que o prémio Nobel da Literatura não vai ser entregue este ano. Em 2019, deverá haver dois laureados.

A decisão já esperada, dado o clima de tensão que se vive no seio da instituição, mergulhada num escândalo que tem por base as acusações de assédio sexual de que é alvo o marido de uma das juradas.

A polémica tem no epicentro o fotógrafo Jean Claude Arnault. O autor de origem francesa está a ser acusado de ter assediado sexualmente dezenas de mulheres ao longo de vários anos, incluindo a própria princesa Victoria, a quem Arnault terá apalpado o rabo.

Arnault é casado com a poetisa Katarina Frostenson, membro do júri do Prémio Nobel da Literatura. O caso levou a uma série de demissões na Academia, acusada de não fazer o suficiente para travar comportamentos censuráveis. Três elementos do júri demitiram-se por a academia não expulsar Frostenson, até porque o marido é também suspeito de revelar antecipadamente os nomes de sete dos vencedores do Prémio Nobel.

Sara Danius, a secretária permanente do comité que decide o Nobel da Literatura demitiu-se a 12 de maio, deixando um vazio de poder.

O caso complica-se porque os estatutos da Academia prevêm que os jurados são nomeados vitaliciamente, só estando preconizada a sua substituição no caso de morte. A Academia anuncia que, em 2019, serão escolhidos dois vencedores.

Desde a II Guerra Mundial que o Prémio Nobel da Literatura, ganho por José Saramago em 1998, era entregue ininterruptamente a cada outono. O prémio fundado em 1901 só foi interrompido durante os dois grandes conflitos mundiais do século XX.

prémio nobel literatura suécia distinção troféu
Ver comentários