Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

Noite épica de Metheny

Foram três horas de concerto, mas ninguém se cansou de ouvir o Pat Metheny Group, domingo, no Coliseu de Lisboa. Depois do Porto, a euforia repetiu-se na capital, onde a prestação do músico voltou a raiar a perfeição.
28 de Junho de 2005 às 00:00
O esquema do alinhamento do concerto passava pela apresentação integral do último disco, ‘The Way Up’, tocado sem interrupções, e de outra parte composta por temas novos e alguns êxitos de outrora.
Metheny entrou sozinho em palco e tocou a Abertura a solo. Depois o grupo juntou-se-lhe para executar as duas partes que texturam o CD, e cujos ambientes sonoros passam pelo jazz de fusão, rock electrónico, folk lírico conjugado com jogos de vozes e percussão. A riqueza do trabalho passou, por exemplo, pelas 14 guitarras (acústicas, eléctricas e sintetizadas) que Metheny toca, de um total de 23 usadas no espectáculo. Steve Rodby (contrabaixo e baixo eléctrico), Cuong Vu (trompete), Gregoire Meret (harmónica e marimbas), Nando Láuria (guitarras) e António Sanchez (bateria) completam este fabuloso sexteto, que encantou tudo e todos.
Na segunda parte, Metheny enveredou por caminhos diferentes, fazendo duetos com o baterista, com o harmonicista e com o trompetista.
Aqui, e para delírio da plateia, dominou o jazz e a música de fusão. O velho tema ‘Are You Coming With Me’ arrebatou um público conhecedor da obra do guitarrista e que aplaudiu vibrantemente todo o espectáculo. Um ‘encore’ cheio de intensidade e consistência electrónica terminou este concerto épico, com Metheny sempre liderando, sem sair um segundo do palco.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)