Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

O concerto perfeito do trio Ivey-Divey

O clarinetista norte-americano Don Byron protagonizou sábado, no Fórum Lisboa, um espectáculo jazzisticamente perfeito incluído no festival forUmusic.
5 de Setembro de 2005 às 00:00
O trio Ivey-Divey, formado por Don Byron (clarinete e saxofone tenor), Jason Moran (piano) e Billy Hart (bateria), executou música ao estilo do seu último CD: temas clássicos de autores modernos e outros do ‘american song book’. Do disco apenas foram interpretados ‘Somebody Loves Me’, de Gershwin, e ‘Himm’, um espiritual da autoria de Byron.
O concerto abriu com ‘All Blues’, que Miles Davis compôs para a sua obra-prima, o álbum ‘Kind Of Blue’, onde ficou desde logo patente o nível técnico e artístico dos músicos que, ainda assim, ao longo da sua prestação ultrapassaram em muito o previsto.
Tratou-se, portanto, de um concerto perfeito, com o clarinete usado em formas e tons nunca ouvidos, que confirmaram Don Byron como o melhor clarinetista do jazz actual. Junte-se também a sustentação e os solos riquíssimos do piano de Jason Moran, outro ‘monstro’ do jazz moderno. Billy Hart, como sempre, evidenciou as qualidades que já o colocaram na história do jazz: desenhos rítmicos fabulosos trazendo uma permanente frescura à percussão exigida.
Ouvir ‘Giant Steps’ tocado em sax tenor tal como o seu autor, Jonh Coltrane, o concebeu, foram momentos de entusiasmo e rendição para quem estava na sala, e que aplaudiu os artistas de forma calorosa.
A noite abriu com um concerto pelos Wishfull Thinking, grupo de pseudo vanguarda do qual sobressaiu o trabalho do pianista Alex Maguire.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)