Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

O homem do momento

Num Coliseu do Porto a rebentar pelas costuras, Tony Carreira fez as delícias dos fãs, distribuiu “beijinhos” e até surpreendeu ao cantar em dueto com o filho, Michael.
7 de Março de 2005 às 00:00
Depois do Olympia de Paris em Janeiro, foi a vez da sala da Invicta vibrar com a voz do cantor. Fenómeno de popularidade, o artista repetiu ontem a dose e nos próximos dias 11, 12 e 13, vai render-se ao Coliseu dos Recreios, em Lisboa, também esgotado desde o início do ano.
O espectáculo de sábado foi o primeiro da digressão 2005 e visou a promoção do novo álbum do cantor, ‘Vagabundo por Amor’, que já atingiu a marca da tripla platina correspodente a mais de 120 mil discos vendidos.
Razão que não impediu Tony Carreira de incluir no alinhamento músicas de álbuns mais antigos, algumas com 15 anos de vida. E os fãs agradeceram: cantaram, bateram palmas, choraram e gritaram noite dentro, deixando bem claro que ele continua a ser o homem do momento da música popular portuguesa. Ou não fosse o único artista português a ter conseguido vender, a nível individual, mais de 40 mil álbuns só no ano passado.
A última vez que cantou no Coliseu da Invicta, em 2002, o resultado foi o mesmo: sala cheia e fãs desgostosos com a falta de mais bilhetes. Este sábado, muitos foram os que ainda tentaram entrar sem ingresso, o que resultou em filas de espera extensas e trânsito caótico nos acessos ao espaço portuense.
Tony Carreira reservou para o concerto de abertura uma surpresa. Para delírio da plateia, apresentou o filho Michael, de 18 anos, com quem cantou ainda um tema.
No final, o cantor retirou-se com a intenção de dar autógrafos. Só que, os fãs eram tantos, que Tony Carreira optou por cancelar a acção e dar apenas “beijinhos, para ser mais rápido”, conforme explicou ao CM um dos membros da sua equipa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)