Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

O VIDRO FEITO ARTE PLÁSTICA

A peça em vidro e metal 'O outro lado', da autoria de Conceição Cabral, foi a vencedora da 5.ª Bienal de Artes Plásticas da Marinha Grande, que pretende "reivindicar um lugar na arte para o vidro".
10 de Outubro de 2004 às 00:00
A 5.ª Bienal de Artes Plásticas da Marinha Grande foi inaugurada ontem
A 5.ª Bienal de Artes Plásticas da Marinha Grande foi inaugurada ontem FOTO: Luís Filipe Coito
Inaugurado ontem, o certame pode ser visitado até ao final do mês e apresenta uma centena de trabalhos de 85 autores nacionais e estrangeiros, que exibem o vidro na sua expressão contemporânea. Em todas as peças seleccionadas pelo júri o vidro aparece como objecto de criação, quer na sua subjectividade plástica, quer na sua substantividade.
O primeiro prémio, no valor de dez mil euros, foi entregue à peça 'O outro lado', de Conceição Cabral, de Alcobaça, que conseguiu conciliar o vidro e o ferro, dois materiais incompatíveis.
"Eu queria fazer uma porta, que dá sempre para outro lado", disse a autora ao CM, explicando que "a vida é transparente e a porta é sempre um enigma".
Conceição Cabral, que contou com a ajuda de Rui Paulo Silva, trabalhou oito horas por dia durante 15 dias para executar esta peça e uma outra que também está em exposição.
O júri atribuiu um prémio especial à obra 'O valor das pequenas coisas', de Ana Pimentel, e cinco menções honrosas. Foi ainda homenageado o mestre vidreiro conhecido por 'Zé do Ernesto'.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)