Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

Obras atrasam novo museu de Joe Berardo

Espaço museológico deverá concentrar a coleção de Arte Nova e de Art Déco do empresário madeirense.
Ana Maria Ribeiro 22 de Janeiro de 2019 às 01:30
Joe Berardo
O empresário Joe Berardo
Joe Berardo
Joe Berardo
O empresário Joe Berardo
Joe Berardo
Joe Berardo
O empresário Joe Berardo
Joe Berardo
Era suposto ter sido inaugurado em 2017, mas ainda não abriu. O novo museu de Joe Berardo, que acolherá, na rua 1º de Maio, em Alcântara, a sua coleção de Arte Nova e Art Déco, atrasou "por causa da complexidade das obras", mas deverá abrir ao público no próximo mês de julho.

Ao todo, serão mais de 300 obras do início do século XX, desde pinturas a mobiliário, passando por esculturas, cerâmicas e cristais até objetos decorativos de artistas como Lalique, Leleu, Perzel, Brandt, Porteneuve e Ruhlmann.

Ao CM, o empresário madeirense – e conhecido colecionador de arte – explica que este atraso é "normal", e que muitas vezes se explica pela simples existência, ou não, de andaimes disponíveis.

"Quando não havia tantas obras em Lisboa, tínhamos andaimes. Agora, eles escasseiam...", diz Berardo, que expõe, em Lisboa, parte da sua coleção de arte moderna e contemporânea (no Museu Coleção Berardo, instalado desde 2007 no Centro Cultural de Belém), enquanto mantém projetos museológicos na Anadia e no Bombarral.

Na Anadia abriu, em 2010, o Underground Museum, ligado à enologia; no Bombarral tem o Budda Eden Garden, onde, em cerca de 35 hectares, se encontram centenas de figuras orientais como budas, pagodes, estátuas de terracota e outras esculturas.

"Agora está quase", acrescenta o colecionador sobre o futuro Museu Berardo – Art Nouveau, Art Déco. "Até já temos a licença para os taipais..."
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)