Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Óscares perdem apresentador

Cada gala dos Óscares é sempre preparada com largos meses de antecedência, mas a edição de 2012 já soma polémica atrás de polémica, o que levou a duas ‘baixas’ de peso: depois do produtor Brett Ratner (realizador de ‘Dragão Vermelho’), ontem foi a vez do actor Eddie Murphy afastar-se da condução da gala de 26 de Fevereiro, de novo no Kodak Theatre de Los Angeles (EUA).
11 de Novembro de 2011 às 01:00
Grazer (em cima, à esquerda) substitui Ratner (ao centro) e Eddie Murphy deixa lugar vago
Grazer (em cima, à esquerda) substitui Ratner (ao centro) e Eddie Murphy deixa lugar vago FOTO: Reuters

A estrela de comédia justificou-se, dizendo que o adeus se deve à ausência de Ratner da cerimónia. Os dois acabam de trabalhar juntos na comédia ‘Alta Golpada' (em exibição em Portugal). Ora, o produtor está na origem de todo este burburinho depois de, há uma semana, ter feito um comentário jocoso, apelidado de homofóbico: numa apresentação de ‘Alta Golpada', questionado sobre os preparativos para os Óscares, Ratner disse que "ensaios são para larilas".

Em resposta, o presidente da Academia, Tom Sherak, anunciou um novo produtor - o veterano Brian Grazer, responsável por ‘Uma Mente Brilhante', ‘O Código Da Vinci' ou a série ‘24' - e disse entender Eddie Murphy: "Percebo o que sente por perder o parceiro criativo, Brett Ratner, e todos lhe desejamos o melhor."

Assim que se soube que a 83ª edição dos Óscares está sem apresentador, as apostas começaram. Há quem defenda que Steve Martin ou Billy Crystal devem voltar e quem aponte para as estreias de Jim Carrey, Tom Hanks ou Russell Crowe - estrelas próximas de Brian Grazer - à frente da noite mais desejada por todos os cinéfilos.

ÓSCARES GALA CINEMA POLÉMICA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)