Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Para além da fotografia

Chamar-lhes fotógrafos é redutor. Susanne Themlitz, Augusto Alves da Silva, Daniel Blaufuks e Vasco Araújo são mais do que ‘meros’ captadores de imagens. Os participantes do BES Photo 2006 – iniciativa que se mostra, desde ontem e até 18 de Março, no CCB – são artistas plásticos que vão para além da fotografia. Apesar de a tomarem como suporte principal, as obras mostram-se em slides, vídeos, instalações e, claro, fotografias.
19 de Janeiro de 2007 às 00:00
A continuidade da iniciativa do maior galardão de fotografia no CCB ainda não está decidida
A continuidade da iniciativa do maior galardão de fotografia no CCB ainda não está decidida FOTO: Pedro Catarino
Da essência, ‘resta’ a imagem. Ou melhor, “tudo é fotografia”. Como diz Daniel Blaufuks, 43 anos, descendente de judeus que, nesta terceira edição do BES Photo, expõe uma obra que tanto lhe diz respeito. “A fotografia é muito mais larga do que uma folha de papel”, disse ao CM o autor de uma série de trabalhos – fotografia e vídeo – onde as memórias do regime nazi contam a história de um passado, mais ou menos verdadeiro, que se perpetua na imagem.
É através da fotografia que Vasco Araújo, 31 anos, regista “o interior das pessoas”. Mais do que lhes roubar a alma – mito que leva muitos africanos a fugirem das câmaras –, o artista conta, em imagens, a história de “pessoas aparentemente normais mas cheias de problemas do foro neurológico”. ‘Trabalhos para Nada’ é disso exemplo. Com telas que afinal são fotografias, manuscritos impressos e fotografados para imprimir de novo, “paredes arrancadas de casa”.
Nas paredes de Susanne Themlitz, lisboeta de 38 anos de ascendência alemã, a obra “contextualiza-se no espaço” e na “interacção de elementos”. E Thelitz é o próprio ‘objecto’ fotografado em momentos “congelados”.
Gélida é a última sala do Centro de Exposições do CCB onde se mostra, imponente, uma única obra de Alves da Silva, de 43 anos. Uma fotografia para além do espaço da exposição, que muda o olhar consoante a proximidade da obra.
Quatro artistas, dezenas de obras e um prémio de quinze mil euros cujo destino será anunciado a 27 de Fevereiro, depois da eleição do júri – Kate Bush (Barbican Art Gallery, Londres), Manuel Castro Caldas (Ar.Co), Olga Sviblova (Moscow House of Photography), Pepe Font de Mora (Fundação Foto Colectania, Barcelona) e Teresa Siza (Centro Português de Fotografia).
NEGOCIAÇÕES COM MUSEU BERARDO
A continuidade do BES Photo no Centro de Exposições do Centro Cultural de Belém (CCB) ainda não está decidida. Paulo Padrão, director de comunicação do BES, garantiu ao CM que a iniciativa, orçada em “200 mil euros”, não está ameaçada e mostrou-se optimista no resultado das negociações que estão a decorrer com o Museu Berardo – que, a partir de Julho, ocupará o espaço do Centro de Exposições. “O protocolo ainda não está fechado mas o BES Photo deverá manter-se aqui no CCB”, antecipou.
Já Rui Silvestre, director-geral do Museu Berardo, diz ser “prematuro” concretizar a permanência da iniciativa no CCB, já que falta ainda “acordar os termos dessa continuação”. Ainda assim, Margarida Veiga, administradora do CCB e da Fundação de Arte Moderna e Contemporânea (que vai gerir o Museu Berardo) reforça que “há a intenção de manter aqui o BES Photo”. Apesar da falta de garantias, para já, parece ser certo que, neste ou noutro local, o BES Photo vai continuar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)