Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

Pedro Mestre com novo trabalho: "O cante tem a força do fado"

Sobe ao palco do Teatro Tivoli, em Lisboa, na próxima terça-feira.
Miguel Azevedo 26 de Outubro de 2019 às 10:48
Pedro Mestre sobe ao palco do Teatro Tivoli, em Lisboa, na próxima terça-feira
Teatro Tivoli, em Lisboa
Pedro Mestre sobe ao palco do Teatro Tivoli, em Lisboa, na próxima terça-feira
Teatro Tivoli, em Lisboa
Pedro Mestre sobe ao palco do Teatro Tivoli, em Lisboa, na próxima terça-feira
Teatro Tivoli, em Lisboa
O disco ‘Mercado dos Amores’, que leva ao Tivoli, recria uma realidade na vida do cante alentejano e da viola Campaniça que acontecia nas feiras e mercados. Como é que vai passar isto para o palco?
Pedro Mestre – Não é difícil. O que acontecia nos anos 30 ou 40 quando os homens iam às feiras e entravam nas barracas que vendiam vinho ouvirem cantadores afamados é semelhante ao que acontece hoje. E é isso que vamos retratar com muita gente envolvida.

- Como é hoje a relação das grandes cidades com estas tradições mais do Interior?
- As coisas estão mais próximas. Todos os dias tento fazer ver que a música do Alentejo é igual a qualquer outra. O cante não é muito diferente do fado. A única diferença é que o fado é um canto solista, e o cante é coletivo. Mas a força que tem, o sentimento e a expressão são iguais. O cante também fala de tristezas, amores e da vida em geral. Os grupos corais sempre foram às cidades com respeito, mas hoje conquistamos mais carinho. Este ano estive com um grupo em Washington e fomos muito aplaudidos.

- Faz 5 anos que o cante foi elevado a património imaterial da humanidade. Que mudou?
- A distinção da UNESCO deu uma projeção que trouxe respeito. A imprensa começou a falar do cante, as pessoas foram à procura e descobriram que era interessante e não coisa de bêbedos e da província.

- Quase assistiu à extinção da viola campaniça. Já está assegurada a sua sobrevivência?
- Neste momento a viola campaniça até deve ser, dos instrumentos tradicionais, o que é mais falado. Há muita gente a construir violas e muita malta nova a querer aprender. Eu já não consigo dar resposta.

PERFIL
Pedro Mestre está há 25 anos a cantar a música tradicional do Alentejo. É pioneiro do projeto de salvaguarda do cante, fundador e ensaiador de corais alentejanos e um dos principais responsáveis pelo surgimento de novas gerações na música tradicional.

Tem levado o cante coral alentejano para as escolas do Baixo Alentejo, onde desde 2006 ensina a tradição. Paralelamente, trabalha na preservação e salvaguarda da viola campaniça.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)