Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

Polícia faz álbum com a família (COM VÍDEO)

Trabalha na PSP do Porto há quase duas décadas, mas nos tempos livres dedica-se à música, ou mais propriamente ao rock. O agente Brandão, cujo nome artístico é ‘Rey Brandão’, decidiu criar um disco, onde canta as músicas que compõe em português. Com o nome ‘Ponto de Partida’, o álbum é posto à venda esta semana e tem como single de apresentação o tema ‘Desempregado’. Este é o segundo trabalho a solo do polícia-cantor, que já fez parte de um grupo underground.
5 de Março de 2012 às 01:00
O polícia cantor chama-se Rey Brandão e adoptou este nome artístico por causa dos colegas, que lhe chamavam o rei do rock português
O polícia cantor chama-se Rey Brandão e adoptou este nome artístico por causa dos colegas, que lhe chamavam o rei do rock português FOTO: D.R.

"Em 1995 gravei o meu primeiro trabalho a solo, com o apoio de músicos dos GNR e dos Trabalhadores do Comércio. Chamava-se ‘Ao Som do Vento' e fiz várias actuações pelo Norte", contou ao CM, Rey Brandão, de 47 anos. O gosto pela música vem de criança. Aos nove anos, ainda morava em França com os pais, e entrou na escola musical Saint Die, onde aprendeu a tocar acordeão. "A minha primeira composição foi uma valsa. Estava na iminência de sair, porque os meus pais entendiam que não progredia, e arrisquei fazer uma música. Foi assim que continuei na escola", lembrou. 

Quando voltou definitivamente para Portugal, o pai comprou-lhe a primeira viola. "Foi no Porto e depois voltamos para casa, na aldeia. Lá não havia escolas de música, mas eu já ouvia muito Beatles, Pink Floyd e Rolling Stones. Com o boom do rock português, comecei a compor também rock", diz Rey Brandão.

Por ironia, a primeira gravação que fez foi de duas baladas, quando tinha 18 anos e estava na tropa. "Depois há um hiato de tempo na minha carreira, que as pessoas acham estranho, entre os 20 e os 40 anos. Nunca foi fácil ser compreendido pelas editoras mas fui sempre compondo", explicou.

Voltou a ser vocalista quando integrou um grupo underground com um colega. Esteve lá cinco anos até que, devido a "incompatibilidades pessoais", decidiu avançar a solo.

O nome artístico ‘Rey Brandão' surgiu rapidamente porque os colegas, polícias, já o chamavam de Rei do rock português.

Escreveu, compôs e pré-produziu no seu home studio (pequeno estúdio que tem em casa) as 12 músicas que fazem parte do CD ‘Ponto de Partida'. Define o som do disco ao estilo dos UHF e Xutos & Pontapés, mas misturado com punk e até house music.

A filha, de três anos, contribuiu, sem saber, ao criar os acordes da entrada da música que deu nome ao disco. A voz da esposa também aparece numa faixa do CD. Já o filho, de 16 anos, vai tocar baixo nos concertos com o pai.

A música ‘Desempregado', escolhida para ser o single de apresentação, já foi escrita há dois anos mas mantém-se actual.

"Tens uma vida desamparada. Sempre falida, sempre encalhada. Vês um anúncio para estagiário. Mas tens de ter carro e não és otário. Desempregado, vives com medo. És desprezado, não tens emprego". O artista, e polícia, só pensa agora nos concertos. "Tenciono fazer espectáculos ao vivo com muita adrenalina", promete.

Cultura Música polícia-cantor 'Ponto de Partida' Rey Brandão PSP
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)