Porto esteve ausente da gala Rainhas da Noite

O preconceito dos portuenses” é a justificação avançada pela organização do espectáculo As Rainhas da Noite para a fraca adesão de público, sábado à noite, ao Teatro Sá da Bandeira, na Invicta.
21.11.05
  • partilhe
  • 0
  • +
Porto esteve ausente da gala Rainhas da Noite
A iniciativa, 'inédita no Porto', teve uma fraca adesão por parte do público Foto Álvaro C. Pereira
Com efeito, apresentado por Gisela Serrano e Elisabete Soares, o evento ficou muito aquém das expectativas com a assistência a encher apenas meia sala, mesmo após o início com mais de hora e meia de atraso.
“É uma iniciativa inédita no Porto. Se fosse em Lisboa, a gala esgotava. O público portuense não está aberto a este tipo de espectáculos. Ainda existe algum preconceito”, explicou ao CM Susana Pereira, da organização.
Promovida pelo ‘Semanário do Norte’ e pela Espectacular Produções, a gala As Rainhas da Noite não contou com o apoio da Câmara Municipal do Porto. “Foram rudes para com a produção. Negaram ajudar-nos e recusaram-nos apoio na segurança para os nossos convidados. Contactei o vereador da Cultura várias vezes e este nunca se mostrou receptivo”, sublinhou Susana Pereira. Aliás, a organização garante ter convidado o presidente da câmara Rui Rio, e outras figuras públicas, mas nenhuma compareceu.
Contudo, o objectivo da iniciativa foi cumprido. Ao som da música dos Queen, Tina Turner e Celine Dion, entre outros, os 12 ‘travestis’ que actuaram enalteceram a arte do transformismo e homenagearam os mais famosos ‘drag queens’ portugueses, como Ruth Bryden, falecida em 1999. O júri, composto por Belle Dominique e Catarina Correia, entregou os prémios Prestige a Nany Petrova e Rainha da Noite a Susana Mastroiani.
A organização promete repetir a iniciativa no próximo ano.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!