Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Porto volta a ser capital do cinema fantástico

Fãs de cinematografias alternativas vão poder ver mais de 100 filmes até 4 de março.
Pedro Rodrigues Santos 19 de Fevereiro de 2018 às 01:30
‘Marrowbone’, filme do realizador espanhol Sérgio Sánchez, abre amanhã, no Teatro Municipal Rivoli, a 38º edição do Fantasporto
Cinema
Sala de cinema
‘Marrowbone’, filme do realizador espanhol Sérgio Sánchez, abre amanhã, no Teatro Municipal Rivoli, a 38º edição do Fantasporto
Cinema
Sala de cinema
‘Marrowbone’, filme do realizador espanhol Sérgio Sánchez, abre amanhã, no Teatro Municipal Rivoli, a 38º edição do Fantasporto
Cinema
Sala de cinema
O filme ‘Marrowbone’, do espanhol Sérgio Sánchez, abre amanhã a 38º edição do Fantasporto, na cidade Invicta. À apreciação do público irão estar, até 4 de março, no Rivoli, mais de uma centena de curtas e longas metragens de 48 países, sendo 48 filmes antestreias mundiais ou europeias.

"O Fantasporto é um festival de descoberta contínua", afirma ao CM o diretor Mário Dorminsky, na véspera da abertura de mais uma edição do evento dedicado ao cinema fantástico. "Fizemos tudo para que seja de novo um grande acontecimento", garante.

Na sexta-feira abre a secção competitiva do festival, com a antestreia nacional de ‘Anna Karenina - Vronsky’s Story’, do russo Karen Shakhnazarov. A sessão de encerramento, com a entrega dos troféus aos premiados, acontece a 3 de março, antecedida pela exibição do filme ‘La Fidèle’, do realizador belga Michaël R. Roskam.

Cinema Fantástico, Semana dos Realizadores, Oriente Express e Cinema Português são as quatro secções que decorrem em paralelo à área competitiva do festival. Em relação ao prémio Cinema Português, estão a concurso 45 filmes, dos quais três em antestreia mundial: ‘Uma Vida Sublime’, de Luís Diogo, ‘Aparição’, de Fernando Vendrell, e ‘Doutores Palhaços’, de Bernardo Lopes e Hélder Faria.

O cineasta Lauro António será um dos homenageados do evento este ano. Além disso, irão estar presentes oito universidades e escolas de cinema no prémio Cinema Português.

"O Fantasporto tem assistido nos últimos cinco anos a uma maior projeção internacional", realça Dorminsky. "Sendo uma referência mundial do cinema fantástico, há um grande interesse dos realizadores em lançar os seus projetos na Europa através do festival", explica.

Um desses exemplos é Guillermo del Toro, que tem o seu ‘A Forma da Água’ nomeado para 13 Óscares. "É considerado um filho nosso", brinca Mário Dorminsky. ‘Cronos’, primeiro filme do cineasta mexicano, venceu em 1994 três prémios no Fantasporto, incluindo o de Melhor Realizador.

PORMENORES 
Referência mundial
O Fantasporto é considerado um dos três mais importantes eventos internacionais dedicados ao cinema fantástico, ao lado dos festivais de Bruxelas, Bélgica, e de Sitges, Espanha.

Orçamento controlado
O festival deste ano está orçado em 550 mil euros, fruto do apoio de vários mecenas e patrocinadores. Deste valor, cerca de 100 mil euros são custeados pelos próprios organizadores.

Milhares de espectadores
A organização estima que cerca de 35 mil espectadores passem, até 4 de março, pelas duas salas do Teatro Municipal Rivoli em que se realizam as projeções.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)