Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

Premiado em Cannes: Fazer filmes é "orgia, sem sexo"

Etgar Keret, que em 2007 ganhou a Câmara de Ouro em Cannes e que dará uma formação em Espinho no âmbito do Festival Internacional de Cinema Jovem (FEST) esta sexta-feira, disse que fazer um filme é como participar “numa orgia, só que sem sexo".
24 de Junho de 2010 às 11:32
Keret diz que “fazer cinema tem a ver com o acto de contar uma história”.
Keret diz que “fazer cinema tem a ver com o acto de contar uma história”. FOTO: DR

Realizador do 'Jelly Fish', e autor de histórias que inspiraram mas de 40 curtas-metragens, pensa que a realização de cinema é acessível a qualquer um pois “fazer cinema tem a ver com o acto de contar uma história”.

Segundo Keret, “uma adaptação não deve ser fiel ao texto original, mas sim ao melhor filme que seja possível fazer-se”. Isto no âmbito do tema que inspira a edição de 2010 do FEST – a adaptação dos livros para o cinema.

 

O realizador adianta ainda que, da sua formação em Espinho, se pode esperar “muito inglês com uma forte pronúncia estrangeira e um monte de histórias".

"Palavras de sabedoria, é garantido que não haverá”, ironizou.

Ver comentários