Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

PRÉMIO PARA GRAÇA MOURA

A primeira tradução integral das 'Rimas' de Petrarca, empresa levada a bom termo pelo poeta e escritor português Vasco Graça Moura para a Bertrand Editora, acaba de ser contemplada com o Prémio Internacional Diego Valeri, galardão que será entregue ao autor no próximo dia 6 de Junho, em Itália.
19 de Maio de 2004 às 00:00
Vasco Graça Moura receberá o prémio no dia 6 de Junho
Vasco Graça Moura receberá o prémio no dia 6 de Junho FOTO: d.r.
A tradução, estimada impossível por muita gente - dada a especificidade da obra quatrocentista, escrita em verso - foi um empreendimento de risco, que Graça Moura assumiu conscientemente: "Não há nenhuma tradução integral das 'Rimas' para português e contam-se pelos dedos da mão as traduções de apenas alguns sonetos".
No entanto, dadas as afinidades de léxico, morfologia, acentuação, sintaxe e história sócio-cultural entre o português e o italiano, o poeta conseguiu fazer Petrarca rimar na língua de Camões (também ele um reconhecido petrarquista).
"Procurei respeitar os esquemas estróficos, métricos, rimáticos e, quanto possível, os efeitos de sonoridade e musicalidade, capturar a nobreza elevada da dicção, acompanhar a prosódia", explicou à Lusa.
O Prémio Diego Valeri - que distingue traduções de obras de Petrarca desde 1971 - foi atribuído por um júri de académicos conceituados, presidido por Gianfelice Peron (da Universidade de Pádua).
O júri era ainda constituído por Vicenzo Fera e Caterina Malta (da Universidade de Messina), Silvia Rizzo (Universidade de Roma 'La Sapienza') e Daniela Golfin Folena (também da Universidade de Pádua).
LÍRICA INFLUENTE
O POETA DO AMOR
Francesco Petrarca nasceu em Arezzo, Itália, em 1304, e estudou Direito em Montpellier. No entanto, o apelo da literatura foi mais forte. Em 1327, viu uma bela mulher na Igreja de Santa Clara de Avinhão. Laura foi, a partir de então, a sua musa inspiradora, a quem dedicou todos os seus poemas de amor. O petrarquismo – que influenciou inúmeros poetas, entre os quais Camões – caracteriza-se pela insatisfação do sentimento amoroso e pelo dilaceramento interior, que se expressa num lamento do indivíduo, confiado à natureza.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)