Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Regresso emocionante

Ao fim de quase 30 anos, Roger Hodgson, o ex-vocalista dos Supertramp, voltou a Portugal. Desta vez com um concerto a solo, apadrinhado pelo município do Crato. E logo ao fim da segunda canção, o público mostrou-se rendido à voz e simpatia do cantor. O músico, que se apresentou em grande forma vocal, confessou ao CM uma “alegria imensa” depois de ter tocado naquela vila alentejana.
31 de Agosto de 2006 às 00:00
“Foi muito bom ver que estavam comigo e que se estavam a divertir tanto como eu. Foi muito emocionante perceber que cantavam o que sentiam”, disse o músico, de 56 anos.
Sobre as expectativas para o concerto desta noite no Coliseu de Lisboa, Hodgson disse estar à espera de uma igual recepção visto que “estamos a falar de público português, por natureza muito receptivo e acolhedor”.
No Crato, as expectativas eram elevadas e o ex-vocalista dos Supertramp não defraudou. O cabeça de cartaz da Feira da Artesanato e Gastronomia tinha à espera uma moldura humana que, de acordo com a organização ultrapassou as dez mil pessoas, oriundas dos mais diversos pontos do País.
Em palco, Hodgson mostrou-se bastante comunicativo e visivelmente impressionado com a quantidade de público que nas primeiras filas cantava todas as suas músicas de fio a pavio. Entrou em palco com ‘Take a Long Way Home’. Depois, assim que soaram os primeiros acordes de ‘Give a Little Bit’, que Roger confessou ser a sua canção favorita, o público rendeu-se e não parou mais de cantar.
Nenhum dos grandes clássicos dos Supertramp foi esquecido. ‘Dreamer’, ‘School’, ‘Breakfast in America’ e a inevitável ‘The Logical Song’, com que terminou o concerto, foram os pontos altos da actuação do músico britânico. Roger Hodgson tocou acompanhado por uma orquestra sinfónica de 36 elementos, ao longo de aproximadamente duas horas.
Correia da Luz, presidente da Câmara do Crato afirmou que o concerto de Roger Hodgson foi um “sonho realizado”.
Quando questionado sobre nomes para futuras edições, o autarca nada quis adiantar. Confessou, no entanto, que já tentou artistas como Santana e Joe Cocker para edições transactas, mas que, por diversos motivos não foi possível trazê-los às festas desta vila do distrito de Portalegre.
"OPORTUNIDADE ÚNICA"
Tiago Batista, de Portalegre, embora tenha apenas 15 anos e a música dos Supertramp não seja a mais popular para a sua geração, disse ao CM que foi de propósito ao Crato para ver o concerto de Roger Hodgson. “É uma oportunidade única de ver ao vivo uma lenda da música. Não conheço o trabalho dele a solo, mas gosto muito das músicas que compôs para a banda que liderou.”
"RECUAR NO TEMPO"
Encostado às grades da primeira fila, cantando os grandes sucessos da banda britânica, Manuel Cunha, de 44 anos e residente no Fundão, foi ao Crato com a família para ver um dos seus ídolos de juventude. “É como recuar no tempo. Estou a adorar ouvir estes grandes temas com que cresci.” Tal como Manuel Cunha, muitos eram os da sua geração que foram com os filhos ver Hodgson.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)