Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Rei espanhol cede quadros de Goya a Portugal

Felipe de Espanha empresta duas pinturas à Gulbenkian.
Duarte Faria 22 de Outubro de 2014 às 22:28
Museu Calouste Gulbenkian espera ter 100 mil visitantes
Museu Calouste Gulbenkian espera ter 100 mil visitantes FOTO: Manuel de Almeida/Lusa

O Museu Calouste Gulbenkian, em Lisboa, recebe a partir de hoje a exposição ‘A História Partilhada – Tesouros dos Palácios Reais de Espanha’, que reúne 141 obras de mestres da pintura como Francisco Goya, Diego Velázquez, El Greco ou Michelangelo Caravaggio.

Trata-se de uma iniciativa em colaboração com o Património Nacional de Espanha que, além de peças de arte da Coroa espanhola, reúne obras do Museu do Prado, em Madrid, do Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, e de três coleções particulares. Da mostra fazem ainda parte duas telas de Goya habitualmente expostas na residência oficial de Felipe VI, e que foram cedidas temporariamente pelo rei de Espanha.

O objetivo da exposição, que está patente até 25 de janeiro (de terça-feira a domingo, das 10h às 18h), é demonstrar a atenção e o interesse prestados pela monarquia de Espanha à arte. Na escolha das obras foram privilegiados os acontecimentos partilhados com Portugal ao longo de 350 anos de história – desde Isabel, a Católica (1451-1504), rainha de Castela e Leão, até Isabel de Bragança (1797-1818), rainha de Espanha, a quem se deve a fundação do Museu do Prado.

"Esperamos contribuir para um melhor conhecimento de Espanha", explica João Castel Branco Pereira. O comissário da exposição e presidente do Museu Calouste Gulbenkian revela ainda a ambição de "mostrar que há um gosto pelo colecionismo elevado a nível real, com recurso aos melhores artistas da época".

O Museu Calouste Gulbenkian espera uma forte afluência de público. A expectativa é chegar aos 100 mil visitantes. Entradas a cinco euros.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)