Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Relíquia religiosa aparece 21 anos depois no rio Pônsul

Seca revelou o pequeno monumento "Alminha", que foi recuperado pela GNR.
Alexandre Salgueiro 19 de Outubro de 2019 às 10:22
Rio Pônsul
Rio Pônsul FOTO: Direitos Reservados
Uma relíquia religiosa furtada há 21 anos da aldeia de Louriçal do Campo, em Castelo Branco, foi encontrada esta semana no leito do rio Pônsul, a mais de 50 quilómetros de distância.

"Trata-se de um pequeno monumento em granito, conhecido como ‘alminha’, e foi detetado no leito do rio, perto da ponte e do cais fluvial de Lentiscais, após a descida acentuada do nível da água nas últimas semanas devido à seca", explicou fonte do Comando Distrital da GNR de Castelo Branco, que, tendo em conta o relevo acidentado do local, mobilizou uma equipa do subagrupamento de montanha da serra da Estrela para resgatar a escultura na última terça-feira, dia 15.

Ao Correio da Manhã, Pedro Serra, presidente da Junta de Freguesia de Louriçal, adianta que a autarquia "já fez prova da propriedade da ‘alminha’, que vai ser restaurada e devolvida ao seu lugar original, perto do cemitério da freguesia".

No local de onde este monumento dedicado a Nossa Senhora da Piedade foi roubado, a junta de freguesia mandou colocar outro idêntico após dezenas de pedidos por parte da população devota à santa. Perante o reaparecimento da relíquia original os moradores reclamam o seu regresso.

"A aldeia ficou revoltada quando a imagem original foi roubada porque este era um local onde muita gente rezava diariamente. Acho que a imagem deve regressar, mas desta vez temos de a fixar melhor para evitar o roubo", alerta José Martins, habitante da aldeia.
Castelo Branco Pônsul Louriçal do Campo política autoridades locais questões sociais
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)