Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

Rodrigo Francisco: “O teatro muda as pessoas”

Festival de Almada espera atrair cerca de 25 mil pessoas em 15 dias.

8 de Julho de 2014 às 14:00
Rodrigo Francisco, diretor artístico do festival, diz que o segredo do sucesso reside "na continuidade" e numa lógica que é alheia ao lucro e "próxima do amor à arte"
Rodrigo Francisco, diretor artístico do festival, diz que o segredo do sucesso reside 'na continuidade' e numa lógica que é alheia ao lucro e 'próxima do amor à arte' FOTO: Pedro Catarino

A decorrer desde sexta-feira, e prolongando-se até dia 18, com 30 espetáculos no cartaz e a surpresa do Ciclo O Sentido dos Mestres (com uma homenagem a Luís Miguel Cintra), o 31º Festival de Almada já vendeu mais de 480 assinaturas até ao momento [organização espera chegar às 500] e mantém a tradição: as salas estão cheias e aguarda-se a visita de 25 mil pessoas.

O diretor artístico, Rodrigo Francisco, diz que o segredo do sucesso reside “na continuidade” e numa lógica que é alheia ao lucro e “próxima do amor à arte”.

“O Festival de Almada vai na sua 31ª edição consecutiva e acho que as pessoas se habituaram a esperar bons espetáculos, que não veriam noutro sítio, a preços acessíveis [ver caixa]”, conta. “A preocupação do fundador do festival, o Joaquim Benite, foi sempre essa: a de garantir serviço público à população.”

Com um orçamento de 556 mil euros – dos quais 215 mil foram financiados pela Câmara Municipal de Almada, e 190 mil pela DGArtes [a mesma verba que atribuída em 1997] – o festival também se autofinancia [em 151 mil euros], com a venda de bilhetes e a ajuda de mecenas e patrocionadores. Este ano, com uma programção forte e seis estreias nacionais, Rodrigo Francisco diz que é “impensável” perder ‘AReunificação das Duas Coreias’, de Joël Pommerat (quinta às 20h00 e sexta às 21h30, no Teatro Municipal); e ‘Ubu Roi’, encenado por Declan Donnellan (segunda-feira, 14, às 22h00, no Palco Grande da Escola D. António da Costa).

“Gostava que as pessoas procurassem, nos espetáculos, perceber como o teatro pode alterar as nossas vidas, como pode mudar as pessoas”, conclui.

PORMENORES

5000 já lá estiveram

Em três dias de festa, o Festival de Almada já recebeu 4954 espectadores, para 12 iniciativas: espetáculos de sala; espetáculos de rua; concertos e colóquios.

1ª edição foi em 1984

A primeira edição do festival, que inicialmente se chamou Festa de Almada, aconteceu em 1984, na zona histórica da cidade, e reuniu grupos de teatro amador da região.

Bilhetes e assinaturas

Os bilhetes avulso para ir ao Festival de Almada variam entre os 5 e os 15 euros. Adquirir uma assinatura custa entre os 40 euros (para jovens) e os 70 euros.

Cultura Teatro Festival de Teatro de Almada Rodrigo Francisco
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)