Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
4

Só faltou a cereja no topo do bolo

Apesar de ter sido arrebatador, o concerto dos britânicos Coldplay no Porto, na noite de sexta-feira, soube a pouco: para os fãs da banda duas horas de puro espectáculo não foram suficientes, e todos pediram por mais. No final, nem um uníssono ‘Viva la Vida!’ dos mais de 50 mil fãs presentes trouxe os artistas de regresso ao palco.

20 de Maio de 2012 às 01:00
Líder dos Colplay mostrou-se em forma, numa grande produção com néons e até fogo-de-artifício
Líder dos Colplay mostrou-se em forma, numa grande produção com néons e até fogo-de-artifício FOTO: Nuno Fernandes Veiga

Ao longo de todo o recinto, os sotaques não enganavam: o público veio de todo o País para ver o grupo de Chris Martin, e até mesmo estrangeiros passaram pelo Estádio do Dragão. Porém, apesar das diferenças, todos tinham duas coisas em comum: a letra das músicas na ponta da língua e a euforia de ver os britânicos ao vivo.

Certo é que durante duas horas – o concerto acabou cerca das 00h00 –, e mesmo com alguma chuva, ninguém parou. As pulseiras que se acendiam automaticamente criavam, com os ecrãs redondos atrás do palco, um jogo de luzes intenso que culminou com fogo-de-artifício e confettis. No espectáculo, nem borboletas gigantes com néons faltaram, bem como balões repletos de cores fluorescentes.

Martin chegou a surpreender o público quando surgiu no meio da multidão, no lado oposto ao palco. O concerto teve de tudo – até uma guitarra atirada ao ar pelo vocalista – mas faltou o regresso ao palco após um pedido arrepiante dos fãs. Afinal, os apaixonados pelo êxito da banda britânica também fizeram parte do espectáculo.

COLDPLAY CONCERTO PORTO MÚSICA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)