Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

SÓ MAIS UMA NOITE!

Na febre actual que se vive em torno do futebol, em que tudo parece indissociável da selecção de todos nós, nem mesmo quando Phil Collins anunciou, anteontem à noite, em pleno estádio José Alvalade, que está em curso a sua última digressão alguém conseguiu evitar uma alusão futebolística: ‘Mas o que é que se passa hoje? Primeiro é o Rui Costa que diz que vai deixar a selecção e agora é este que diz que vai deixar de dar concertos!’.
5 de Julho de 2004 às 00:00
De regresso a Portugal dez anos após a sua última actuação, o cantor despediu-se em grande do público português com um espectáculo de celebração em versão ‘jukebox’, no qual cantou tudo o que havia para cantar (era só tirar um sucesso e meter outro), de ‘Against All Odds’ a ‘One More Night’, de ‘Groovy Kind Of Love’ a ‘Sussudio’, passando por ‘You Can’t Hurry Love’, ‘Easy Lover’ e ‘Dance Into The Night’, entre muitos outros. Quantas vezes nos teremos esquecido que estas canções todas pertencem a um só homem?
Perante 40 mil pessoas de todas as idades, que esgotaram o recinto, Phil Collins foi a simpatia em pessoa, falou várias vezes em português (ainda que com a ajuda de uma cábula) e assinou um espectáculo inesquecível, com momentos de verdadeiro arrepio colectivo (‘Against All Odds’ foi um deles).
O ex-Genesis, que ultimamente vinha sendo acusado de ter perdido alguma criatividade, puxou dos galões e provou por que é, indubitavelmente, uma das maiores figuras a solo da pop a ter surgido nos anos 80. As canções eram maioritariamente do passado, mas algumas delas (senão todas) serão certamente lembradas no futuro.
O músico que ontem assistiu à final do Euro’2004, despediu-se ao final de duas horas e vinte de concerto, tendo deixado a sensação de que ainda havia muito mais para cantar. Só mais uma noite, por favor...
CRÓNICA DE UM FINAL ANUNCIADO
ww É certo que o nome com que foi baptizada a mais recente digressão de Phil Collins, ‘First Final Farewell Tour’ (os mais optimistas poderão traduzi-la como ‘até breve’) não significa uma despedida inequívoca e efectiva, mas o mais provável é mesmo que o cantor só volte aos palcos para acontecimentos pontuais ou reuniões efémeras. O próprio já o tinha deixado no ar numa conferência de Imprensa realizada há dois anos em Madrid – por alturas do lançamento do álbum ‘Testify’ – quando revelou que os médicos lhe tinham pedido alguma contenção por forma a não agravar a sua surdez. E a verdade é que já nessa altura todos os jornalistas presentes haviam ficado com a ideia de que “alguma contenção” passaria necessariamente por um adeus aos palcos. Para mais se nos lembrarmos que Phil Collins também já havia manifestado publicamente o desejo de passar mais tempo com os filhos, não é difícil concluir que a última digressão do cantor seria uma questão de tempo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)