Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Só os Da Weasel atraem ao Parque

Quando os Da Weasel começaram a actuar no Parque Mayer, às 21h00 de ontem, verificou-se que grande parte do público da primeira noite do ‘Lisboa ao Parque’, iniciativa de revitalização do espaço lisboeta, só estava interessada na banda de hip-hop.
20 de Agosto de 2009 às 00:30
Os Da Weasel animaram o Parque Mayer numa noite em que rareou o público nos primeiros espectáculos
Os Da Weasel animaram o Parque Mayer numa noite em que rareou o público nos primeiros espectáculos FOTO: Sérgio Lemos

Em minutos juntaram-se cerca de 1200 pessoas para "uma noite de lados B" que não esqueceu o disco ‘Amor, Escárnio e Mal-Dizer’. A certo momento, Pac acendeu um cigarro antes de dar início a ‘(No Princípio era) O Verbo’, seguindo-se o hino ‘Dou-lhe com a Alma’.

Antes houve animação de rua, para pouca gente. Com restaurantes de porta aberta como ‘O da Manecas’, virado para o palco onde os Custom Circus juntavam sons pesados a jogos de fogo. Já o humorista Francisco Menezes não esqueceu Michael Jackson. "Para quem pensava que era esquisito, era preciso ver a família", ironizou.

A produção promete que os espectáculos terminarão sempre antes das 23h00, devido ao ruído. Mas há arestas a limar, como a exposição dedicada a Raul Solnado, que só avançará na quarta-feira.

"Lidámos com maldispostos mas valeu a pena. Queremos dizer às pessoas que temos o espaço à sua disposição", disse o director da produtora UAU, Paulo Dias.

Do outro lado, no Teatro Maria Vitória, Francisco Nicholson fez uma pausa nos ensaios da revista ‘Agarra, que é Honesto’ e observou as primeiras entradas no recinto. Assumiu que vê a iniciativa com agrado mas prefere esperar para ver.

REACÇÕES

"SÓ HÁ GRANDE ANIMAÇÃO COM TEATROS REABERTOS": Francisco Nicholson, Actor, 71 anos

"Espero que as pessoas venham e se divirtam mas só há grande animação do Parque Mayer com teatros reabertos. Não faço críticas a um presidente da câmara mas a vários, por haver tantos teatros fechados."

"QUANDO ERA CATRAIA VINHA COM FREQUÊNCIA": Deolinda Ramos, Reformada, 66 anos

"Cheguei agora mesmo e isto para mim é tudo novo. Estou a gostar, é muito diferente, e quero ver se venho mais vezes. Quando era catraia vinha aqui com frequência. Estou sempre a par do que se passa com o Parque Mayer."

"ESPECTÁCULOS NADA TÊM A VER COM OS DE ANTES": José Pires, Supervisor de aviação, 55 anos

"Vim por ser o primeiro dia e porque o meu filho me comprou o bilhete. Estou a gostar, mas estes espectáculos nada têm a ver com os de antes. Nem sequer havia muitos concertos e o Parque tinha mais restaurantes."

"SINCERAMENTE, NÃO VIM PELA MEMÓRIA DO PARQUE": Cátia Carrola, Estudante, 23 anos

"Vim por causa dos Da Weasel. Sinceramente, não vim pela memória do Parque Mayer. Vim de propósito da Covilhã para ver o grupo, porque sei que vão dar um concerto diferente. Estou mesmo só à espera deles."

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)