Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

SONS DO MUNDO E OUTRAS BIZARRIAS

Quando os Deadema entraram em cena, um clã de amigos, vizinhos e alguns fãs reuniu-se em frente ao palco, braço erguido em ligeiro alvoroço rap e alguma rebeldia incontida.
O apresentador de serviço foi então anunciar a segunda actuação da noite, os Mesa, como sendo "uma superbanda".
1 de Setembro de 2003 às 00:00
 Os Terrakota deram o melhor concerto do evento
Os Terrakota deram o melhor concerto do evento FOTO: Brendan Mcdermid/epa
Salvaguardando as devidas distâncias, o grupo do Porto é um dos mais promissores do burgo, com temas como "Tinta" ou "Esquecimento" a intensificarem os odores verdejantes do jardim. Cantam em português, misturam géneros e perspectivas, são bons músicos e têm uma "front woman" tão charmosa e elegante quanto o som que produzem. O futuro adivinha-se risonho por estas bandas.
DANÇAS GLOBAIS
Os Terrakota são, muito provavelmente, a melhor banda portuguesa da actualidade em cima do palco.
O grupo condimentou a sua actuação com excentricidade e misticismo, mistura de pátrias, cores, sensações, referências à escala global e deambulações instrumentais que navegam por instrumentos raros, como o kisanje. Depois de concertos memoráveis lá fora e em Portugal, surgiram no Porto mais rodados, mas visivelmente mais cansados. Nada, no entanto, que os tivesse impedido de terem realizado o melhor concerto da presente edição das 'Noites'.
O evento terminou com a prestação dos Blasted Mechanism e canções como "I Believe" ou "Are You Ready?" que revelam desprezo pela banalidade. Passando uma mensagem de revolução, anunciada por Karkov, Vald'jiu e Ary, o grupo primou pela invulgar estética visual e sonora, o que incitou o povo a manifestar- -se. Um concerto pleno de energia em que as indumentárias bizarras pesaram mais do que o som.
ALECRIM E ALFAZEMA
As Noites Ritual Rock são uma montra privilegiada de exposição da música moderna portuguesa. O certame, que este ano comemorou a sua 12.ª edição, é inserido num espaço, os jardins do Palácio de Cristal, que são um oásis de verde numa cidade onde predomina o betão.
n As apresentações dos Mesa e dos Terrakota, sem deslumbrarem, foram os pontos altos de um festival onde não abundaram as grandes actuações.
n A Câmara Municipal do Porto decidiu fazer um "ligeiro corte orçamental" para a edição deste ano, por motivos que se prendem com "a crise". Vai daí, a organização decidiu amputar o evento de uma das suas melhores partes, abdicando das actuações das novas bandas no coreto - que nem 'cachet' recebiam - instalando aí um ecrã onde passavam uns vídeos que ninguém viu.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)