Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

Tango domina a nova obra de Rodrigo Leão

O tango está presente em mais de metade dos temas do ‘Concerto em Sol’, apresentado na noite de sábado, no Auditório dos Oceanos do Casino Lisboa. A obra foi composta por Rodrigo Leão, numa encomenda da Estoril-Sol, detentora do Casino Estoril e do Casino Lisboa, para assinalar os 50 anos da empresa.

23 de Junho de 2008 às 00:30
A obra de Rodrigo Leão tocada no Casino Lisboa serve para comemorar os 50 anos da Estoril-Sol
A obra de Rodrigo Leão tocada no Casino Lisboa serve para comemorar os 50 anos da Estoril-Sol FOTO: Fotomontagem CM

O espectáculo foi enriquecido com a presença da Orquestra Sinfonieta de Lisboa, dirigida pelo maestro Vasco Pierce de Azevedo. Os arranjos de Pedro Moreira, na integração do Cinema Ensemble com a Orquestra, foram de alto nível, conseguindo momentos de grande emotividade e de harmonias excepcionais.

O ‘Concerto em Sol’, composto por nove peças, teve como sempre a assinatura do estilo de Rodrigo Leão, as influências de Ennio Morricone – compositor italiano que assinou bandas sonoras de filmes como ‘Era Uma Vez na América’ –, a novidade de sons do belga Pascal Comelade e Astor Piazzola, que fizeram parte de uma obra cheia de força e que nitidamente arrebatou o público que enchia o Auditório dos Oceanos.

Como é habitual, a excelência da acordeonista Celina da Piedade fez-se sentir, até no entendimento com a violinista Viviena Toupicova.

Após o ‘Concerto em Sol’, a segunda parte do espectáculo no Casino Lisboa passou pela apresentação de temas antigos de Rodrigo Leão.

Nessa altura, a cantora Ângela Silva acabou por ser muito abafada pelo som do Ensemble e da Sinfonieta, não se conseguindo perceber as palavras que dizia. Pelo contrário, Ana Vieira emocionou o público com a força das suas interpretações e voz nos temas ‘Vida Tão Estranha’, ‘Cidade Tejo’ e ‘Solitude’.

O encore pertenceu à voz da acordeonista Celina da Piedade, recompensando-a pela extraordinária ovação do público.

DETALHES

ACORDEONISTA CANTOU

Além de assegurar o encore que terminou o espectáculo, a acordeonista Celina da Piedade cantou de forma magnífica o tango ‘Pasíon’, num diálogo com o violino de Viviena Toupicova, trazendo algo de novo a quem foi ao Auditório dos Oceanos.

MTESRE DO THEREMIN

Outro momento alto da noite de sábado pertenceu à música convidada Lydia Kavina, virtuosa intérprete de Theremin, instrumento electrónico onde o instrumentista tira melodias e harmonias de uma corda, lembrando o som de uma voz. Encaixe perfeito no Cinema Ensemble.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)