Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Tauromaquia perde 4,5 milhões de euros após paralisação devido ao coronavírus

Sem receitas, toureiros desesperam e preveem ano catastrófico para o setor.
Sónia Dias e Patrícia Lima Leitão 2 de Junho de 2020 às 08:30
Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa
Praça de Touros do Campo Pequeno, Lisboa
Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa
Praça de Touros do Campo Pequeno, Lisboa
Praça de Touros do Campo Pequeno, em Lisboa
Praça de Touros do Campo Pequeno, Lisboa
Com a maioria das salas de espetáculos de portas abertas, o setor da tauromaquia diz ter sido posto de parte pelo Governo no plano de desconfinamento e pede para retomar a atividade o mais rapidamente possível, numa altura em que os prejuízos rondam já os 4,5 milhões de euros, só em receitas de bilheteira.

Com a temporada, que se realizaria de março a outubro, suspensa, e sem previsão oficial de regresso, já se perderam 70 corridas, cada uma composta por 170 pessoas, entre cavaleiros, matadores, bandarilheiros, forcados, ferradores e ganadeiros, entre outros profissionais.

As receitas pararam, mas a vida continua, com os animais a precisarem de treino, alimentação e cuidados.

O investimento nos animais é elevado. Cada touro, por exemplo, custa certa de 3500 euros, estando pronto para a lide aos quatro anos. Já os cavalos podem custar entre 150 e 200 euros por mês (só manutenção, sem treino). A tudo isto acrescem contas de água, luz e salários dos empregados.

"Esta temporada vai ser dramática, mesmo com corridas", diz Nuno Pardal, presidente da Associação Nacional de Toureiros, acrescentando que a lotação máxima de 1/4 das arenas "não parece viável". Já Rui Bento Vasques, ex-diretor do Campo Pequeno, adianta que "50% de ocupação seria uma boa possibilidade para se voltar a trabalhar."

Cavaleiros acorrentados no Campo Pequeno
Os cavaleiros António Ribeiro Telles, Luís Rouxinol, Rui Fernandes e o ex-forcado José Luís Gomes acorrentaram-se esta segunda-feira ao portão do Campo Pequeno, em Lisboa.

O protesto, que se prolongou pela tarde, e ao qual se juntaram outros profissionais, aconteceu no dia em que a praça lisboeta recebeu o espetáculo ‘Deixem o Pimba em Paz’, que contou com a presença da ministra da Cultura e do primeiro-ministro.

Entretanto, alguns profissionais do setor adiantaram ao CM que as touradas poderão voltar dia 15 de junho.
Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)