Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
4

TERRAS UNIDAS PELA PAIXÃO DE CAMILO

Onze municípios portugueses assinaram ontem, em Vila Nova de Famalicão, a escritura de constituição da Associação das Terras Camilianas. O objectivo é congregar esforços na preservação e valorização do património literário e arquitectónico ligado ao romancista Camilo Castelo Branco.
24 de Novembro de 2004 às 00:00
“Todos estes concelhos têm na sua identidade algo de Camilo. Cabe-nos agora valorizar todos esses aspectos da vida e obra de um escritor de grande alma e paixão, como elemento central de promoção da literatura portuguesa e da cultura em geral”, explicou o presidente da Câmara de Famalicão, Armindo Costa.
Além de Famalicão, a associação congrega os municípios de Coimbra, Fafe, Póvoa de Lanhoso, Póvoa de Varzim, Ribeira de Pena, Viana do Castelo, Vila do Conde, Vila Nova de Gaia, Vila Real e Viseu. Está ainda aberta a possibilidade de aderirem à associação novos municípios de alguma forma relacionados com a vida e obra do escritor.
“Todos sabemos que, além de Famalicão, há outras terras com acervos e memórias camilianas também muito fortes. Entendo que só é possível dinamizar todo esse material e ressuscitar a paixão literária e de vida de Camilo se nos juntarmos e conjugarmos esforços”, sustentou Armindo Costa, confiante de que a nova associação vai permitir o lançamento de “um leque variado de acções”.
Em fase de conclusão está o Centro Cultural de Camilo Castelo Branco, um projecto da autoria de Siza Vieira situado junto à Casa-Museu onde viveu o escritor, em S. Miguel de Ceide.
A nova associação tem ainda a missão de promover novas investigações em torno da obra do escritor e interligar diversos factores de união das terras camilianas, “sobretudo ao nível do património capaz de potenciar o turismo, com destaque para a gastronomia”.
Ver comentários