Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Tudo a postos para receber H. Potter

A pouco mais de 24 horas do lançamento mundial do sétimo e último volume da saga do aprendiz de feiticeiro, ‘Harry Potter and the Deathly Hallows’ (no original), não faltam livrarias prontas para esticar o horário noite dentro, a partir da meia-noite de amanhã.
19 de Julho de 2007 às 00:00
O sétimo e último livro da colecção de J. K. Rowling está a deixar o Mundo louco
O sétimo e último livro da colecção de J. K. Rowling está a deixar o Mundo louco FOTO: Roland Schlager
Portugal não é excepção e, à semelhança de anos anteriores, a Fnac, Bertrand e Bulhosa preparam nova maratona. A Fnac não avançam números mas, tudo indica, as encomendas vão permitir que J. K. Rowling e Daniel Redcliff mantenham o estatuto de segunda americana mais rica do Mundo e adolescente mais rico de Inglaterra, respectivamente.
Entre nós, todas as lojas Fnac abrem à meia-noite, excepção feita à de Stª Catarina, no Porto. Em todas as outras lojas há noitada e festa de lançamento com promessa de ofertas especiais. Como na Bulhosa de Cascais que organiza uma sessão especial no Museu da Música – Casa Verdades de Faria, Monte Estoril. Segundo fonte da Bulhosa, os fãs poderão comprar o livro no Museu, onde está a ser montado um ambiente “potteriano, com surpresas e prémios para os mais convincentes”.
Enquanto não chega a versão portuguesa (Outubro, ed. Presença), aproveite-se a inglesa mesmo sendo de esperar uma quebra senão nas vendas nas expectativas. É que na internet surgiram fotografias de várias páginas do livro, nomeadamente, o seu final. Quem e como acedeu ao conteúdo do livro é um mistério mas as suspeitas recaem sobre um hacker (pirata informático) que terá entrado no sistema da editora inglesa (Bloomsbury). O facto levou ao surgimento de abaixo-assinados, inclusive um português, no sentido de convencer quem viu a não divulgar o final.
Mas os problemas não se ficam por aqui. Em Inglaterra, a editora cancelou a venda do livro numa das maiores redes de supermercados do país, alegando pagamentos em atraso. Mais! Em Israel, estoirou mesmo um conflito religioso porque os comerciantes querem abrir as lojas no dia santo, sábado. Resultado: o ministro do Comércio e Indústria anunciou que serão punidos todos os que desrespeitem o dia santo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)