Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

UM MISTÉRIO CHAMADO GRETA

Greta Garbo é famosa pela sua discrição. A estrela mais misteriosa de Hollywood sempre conseguiu manter a sua vida privada afastada das luzes da ribalta. No entanto, nem mesmo isso impediu o conterrâneo, Mikael Hellqvist, de ir desenterrar os seus segredos para os levar ao palco, em forma de musical.
17 de Setembro de 2002 às 22:41
O espectáculo estreia esta noite em Estocolmo, e o produtor Hellqvist acredita ter em mãos um sucesso garantido. “Queremos estar um ano em cena, depois levar o espectáculo a outras cidades e, finalmente, fazer uma digressão mundial em 2004. Neste momento, o público quer ver musicais.”

Sequiosos de fama

A protagonista de “Garbo – O Musical” é Gunilla Backman, que diz ter-se preparado profundamente para este papel. Para além de ler todos os livros que se escreveram sobre Garbo, a actriz sueca teve ainda oportunidade de falar com membros da família da estrela já desaparecida.

“O que mais me surpreendeu foi perceber que Greta Garbo nunca procurou a fama. Ela queria apenas trabalhar. O que é irónico, pois hoje em dia passa-se precisamente o contrário.”

Greta Garbo tinha apenas 20 anos quando chegou a Hollywood. Em menos de nada, tornou-se uma estrela planetária, rodando 10 filmes mudos e 14 sonoros durante pouco mais de dez anos. Em 1932, proferiu a sua frase mais famosa: “I want to be alone” (quero ficar sozinha), no filme “Grand Hotel” - uma frase que se lhe colou à pele para sempre e que viria a ser uma espécie de profecia. Em 1941, no auge da popularidade, retirou-se da vida artística e passou a viver como uma reclusa no seu apartamento de Nova Iorque. Não queria que o Mundo a visse envelhecer.

Em 1954, quando Hollywood lhe deu um Óscar de carreira, não compareceu à cerimónia.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)