Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

Uma birra por causa do verniz

Foi uma estrela decadente a que na noite de sexta-feira passou pelo Rock in Rio Lisboa. Aguardada com enorme expectativa, AmyWinehouse não correspondeu, sendo a protagonista de um espectáculo degradante.
1 de Junho de 2008 às 14:30
Uma birra por causa do verniz
Uma birra por causa do verniz FOTO: Nacho Doce/Reuters

Vinda de Londres, chegou ao Parque da BelaVista só meia hora antes da suposta entrada em palco (22h00). E fez exigências extraordinárias: não quis ser vista por ninguém na zona dos bastidores, pelo que todos, desde o staff da produção às comitivas dos outros artistas, tiveram de se recolher para que o carro em que viajava entrasse no recinto. Já nos camarins, não terá tocado no vinho pedido, mas fez birra.

Ao que o CM apurou – a organização escusou-se a comentar o que sucedeu –, a britânica não gostou da cor do verniz das unhas e quis um novo. Uma situação desbloqueada pela brasileira Ivete Sangalo, que actuara minutos antes no Palco Mundo. Esse terá sido o motivo dos 35 minutos de atraso.

Em palco, Amy surgiu com a mão direita envolta em ligaduras e com um ‘chupão’ no pescoço. Decerto uma marca do encontro na prisão com o marido Blake, com quem esteve essa tarde escassas horas antes do concerto, segundo a imprensa britânica. Em Lisboa, Amy anunciou mesmo que ele irá regressar a casa dentro de duas semanas.

Isso terá provocado alguma ansiedade na cantora de 24 anos, que em palco se mostrou sempre perturbada, sem controlo nos movimentos e com falhas na interpretação. Atropelou letras, acrescentou ‘Blake’ em algumas, e o alinhamento foi reduzido para 55 minutos. Pediu desculpas e disse que deveria ter cancelado o espectáculo porque estava sem voz, o que explica as pastilhas que foi tomando ao longo do concerto.

Foi essa sinceridade que apaziguou os mais revoltados, que não regatearam aplausos à intérprete de ‘Rehab’. 'Até eu canto melhor no karaoke', lançou uma fã brasileira. 'É uma pena, estragou a festa',atirou outra, que ainda assim agradecia o facto 'de ela ter vindo a Lisboa'.

Depois do concerto, Amy Winehouse rumou de imediato para Londres, mostrando que não está ainda em condições de voltar aos palcos. Fica uma dor de cabeça para a organização do Rock in Rio, que tem a cantora no cartaz da sua primeira edição em Madrid, marcada para 4 de Julho.

DE COPO NA MÃO

Ao longo dos 55 minutos em que se manteve junto dos 90 mil que compraram bilhete para a ouvir, Amy Winehouse várias vezes recuperou forças com o líquido não identificado, que enchia o copo que trouxe para o palco.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)